Inovações no ensino híbrido: uma perspectiva a partir da teoria ator-rede

  • Alan Cesar Belo Angeluci Universidade Municipal de São Caetano do Sul
  • Marcello Cacavallo Universidade Municipal de São Caetano do Sul
Palavras-chave: comunicação, inovação, tecnologia, ensino híbrido, teoria ator-rede

Resumo

O presente artigo apresenta um estudo de caráter qualitativo em que dados coletados indicam as principais palavras-plenas relacionadas às práticas inovadoras de ensino híbrido a partir de entrevistas feitas com especialistas do campo no Brasil. Com apoio do software Atlas.ti, elas foram associadas e analisadas à luz de oito conceitos recorrentes na Teoria Ator-Rede, formulada por Bruno Latour. O estudioso francês preconiza que em um mundo híbrido formado por diversos atores — humanos e não humanos — interligados e dependentes uns dos outros, não há parâmetros para se estabelecer uma relação em que homem ou máquina são mais ou menos importantes que um ou outro. As inovações no ensino híbrido revelam-se, portanto, como terreno fértil para reflexão sobre as tensões entre essas duas instâncias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alan Cesar Belo Angeluci, Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e em Educação da Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Pós-doutor pela Universidade do Texas em Austin, Estados Unidos.

Marcello Cacavallo, Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Mestre em Comunicação, pela USCS — Universidade Municipal de São Caetano do Sul. É professor e coordenador de cursos da Faculdade Sumaré.

Referências

BACICH, Lilian.; TANZI NETO, Adolfo.; TREVISANI, Fernando de Melo. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. D. M. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. 1a. ed. Porto Alegre: Penso, 2015.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. 3a. ed. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2004.

BRUNO, Fernanda. Rastros Digitais: o que eles se tornam quando vistos sob a perspectiva da teoria ator-rede? XXI Encontro da Compós. Juiz de Fora: Compós. 2012.

CAMARGO, Brigido Vizeu; JUSTO, Ana Maria. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Pepic Periódicos Eletrônicos em Piscologia, Ribeirão Preto, v. 21, n. 2a, dez 2013.

CAVALCANTE, Maria Tereza Leal; VASCONCELLOS, Miguel. Murat.. Tecnologias de informação para a educação na sáude: duas revisões e uma proposta. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, 2007.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social uma introdução à teoria do ator rede. 1a. ed. Salvador - Bauru: Universidade do Sagrado Coração, 2012.

LEMOS, André. A comunicação das coisas - teoria ator rede. 1a. ed. São Paulo: Annablume, 2013.

MELO, Maria de Fátima Aranha de Queiroz Discutindo a aprendizagem sob a perspectiva da teoria ator-rede. Educar em revista, Curituba, n. 39, jan-abr 2011.

MORAN, José Manuel Educação híbrida. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. D. M. Esnino híbrido: personalização e tecnologia na educação. 1a. ed. Porto Alegre: Penso, 2015.

PASSARELLI, Brasilina. Literacias emergentes nas redes sociais: estado da arte e da pesquisa qualitativa no observatório da cultura digital. In: PASSARELLI, B.; AZEVEDO, J. Atores em rede: olhares luso-brasileiros. 1a. ed. São Paulo: SENAC, 2010..

VALENTE, José. Armando. O ensino híbrido veio para ficar. In: BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. D. M. Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. 1a. ed. Porto Alegre: Penso, 2015.

Publicado
2017-06-06
Como Citar
Angeluci, A., & Cacavallo, M. (2017). Inovações no ensino híbrido: uma perspectiva a partir da teoria ator-rede. Comunicação & Educação, 22(1), 63-73. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v22i1p63-73