Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Política pública: a televisão infantil na educação infantil

Valerio Fuenzalida

Resumo


Desde meados da década de 1990 têm aparecido novos programas infantis de televisão que mostram novas representações do público infantil. A neurobiologia cerebral e as teorias epigenéticas do desenvolvimento infantil descobriram a imagem de uma criança com capacidades e motivações internas por desenvolver. Está se evoluindo para uma nova representação televisiva do público infantil e para um construtivismo cultural na recepção. Esses programas representam uma criança com competências socioemocionais. Essa representação infantil é mais complexa e convoca uma audiência construtivista dos programas. É necessário desenvolver uma política pública de introdução sistemática na educação infantil de tais programas de televisão com valor socioemocional de formação.


Palavras-chave


televisão infantil; educação; classe infantil; audiência construtivista; lar

Texto completo:

PDF

Referências


Antinucci, F. (2000). ¿Colgados?. Qué hace la computadora con nuestros hijos, qué hacen nuestros hijos con la computadora. [Desligados? O que o computador faz com nossos filhos e o que nosso filhos fazem com o computador] Buenos Aires: FCE.

Besançon, A. (2003). La imagen prohibida: una historia intelectual de la iconoclasia.[A imagem proibida: uma história intelectual da iconoclastia]. Madri: Siruela.

Céspedes, A. (2007). Cerebro, inteligencia y emoción: neurociencias aplicadas a la educación permanente [Cérebro, inteligência e emoção: neurociências aplicadas à educação continuada]. Santiago: Fundación Mírame.

Chomsky, N. (1975). Reflections on language. [Reflexões sobre a linguagem] New York: Pantheon

Damasio, A. R. (2000). Sentir lo que sucede. Cuerpo y Emoción en la fábrica de la Consciencia. [Sentir o que acontece. Corpo e emoção na fábrica da consciência] Santiago: Andrés Bello. (The Feeling of What Happens. 1989).

Dussaillant, F. & González, P. (2012). Rentabilidad de la inversión en primera infancia. Estudios Sociales [Rentabilidade do investimento na primeira infância] N° 120, 187-222.

Ferrés i Prats, J. (2014). Las pantallas y el cerebro emocional. [As telas e o cérebro emocional] Gedisa. Barcelona.

Ferrés i Prats, J. (2008). La educación como industria del deseo. [A educação como indústria do desejo] Barcelona: Gedisa.

Ferrés i Prats, J. (2001). Educar en una cultura del espectáculo. [Educar numa cultura do espetáculo] Barcelona: Paidós.

Fuenzalida, V. (2002). Televisión Abierta y Audiencia en América Latina. [Televisão aberta e audiência na América Latina] Buenos Aires: Ed. Norma.

Fuenzalida, V. (2005). Expectativas Educativas de las Audiencias Televisivas. [Expectativas educacionais nos espectadores de televisão] Bogotá: Ed. Norma.

Fuenzalida, V. (2007). Reconceptualización de la Entretención ficcional televisiva. [Reconceitualização do entretenimento ficcional televisivo] Fronteiras. IX (1) 45-54. Porto Alegre: Universidad de Unisinos.

Fuenzalida, V. (2008). Cambios en la relación de los Niños con la Televisión. [Transformações na relação das crianças com a televisão] Comunicar 30 (XV), 49-54.

Fuenzalida, V. (2013). TV infantil: cambios en la narración y en escritura de guiones. [Televisão infantil: transformações na narração e na escrita de roteiros] Think Tank del Audiovisual - FCOM – PUC. www.accionaudiovisual.uc.cl

Fuenzalida V. (2015). Quality Criteria in children TV. [Critérios qualitativos na televisão infantil] Amazon.

Heintz K. E. & Wartella E. 2012. Young Children’s Learning from Screen Media. [o aprendizado na primeira infância através da tela da tevê] Communication Research Trends, vol. 31 N° 3, p 22-29.

Jeannerod, M. (1981). Le cerveau et la représentation du monde sensible. [O cérebro e a representação do mundo sensível] In: Oudot J., Morgon A., Revillard J.P. (Eds), Dix visions sur la communication humaine. [Dez visões sobre a comunicação humana] Lyon: Press Universitaires de Lyon.

Kanizsa, G. (1986). Gramática de la visión. [Gramática da visão] Buenos Aires: Paidós.

Köhler, W. (1972). Psicología de la Forma. [Psicologia da forma] Madri: Biblioteca Nueva.

Lavados, J. (2012). La neurobiología del aprendizaje temprano. [A neurobiologia da aprendizagem prematura] Estudios Sociales N° 120, 33-58. Santiago de Chile: CPU.

Lavados, J. (2012a). El cerebro y la educación. Neurobiología del aprendizaje. [O cérebro e a educação. Neurobiologia da aprendizagem] Santiago de Chile: Taurus.

Livingstone, S. (2013). The Participation Paradigm in Audience Research. [O paradigma da participação na pesquisa de audiência] The Communication Review 16 (1-2), 21-30.

Milicic, N. & López de Lérida, S. (2012). La importancia del aprendizaje socioemocional en el contexto de la primera infancia. [A importância da aprendizagem sócio-emocional no contexto da primeira infância] Estudios Sociales N° 120, 59-86. Santiago de Chile: CPU.

Morduchowitz R. Los chicos y las pantallas [As crianças e as telas] (2014). Fondo de Cultura Económica.

Nathanson A.I., Sharp L.M., Aladé F., Rasmussen E.E., & Christy K. (2013). The relation between Television Exposure and Theory of Mind among Preschoolers [A relação entre a exposição à televisão e a teoria da mente entre os pré-escolares]. Journal of Communication 63 N°6, 1088-1108.

Nussbaum M. 2014. Emociones Políticas. [Emoções políticas] Paidós.

Papalia, D. (2005). Desarrollo Humano. [Desenvolvimento humano] McGraw-Hill.

Silverstone, R. (1996). Televisión y Vida Cotidiana. [Televisão e vida cotidiana] Buenos Aires: Amorrortu.

Schwartz, M., Kunkel, D. DeLucia, S. (2013). Food Marketing to Youth: Pervasive, Powerful, and Pernicious. [Publicidade de alimentos para jovens: penetrante, poderosa e perniciosa] Communication Research Trends 32 (2), 4-10.

Uribe, R. y Fuentes-García, A. (2013). Food Marketing, Children, and Obesity in Chile: Evidence and Challenges for Regulation.[Publicidade de alimentos, infância e obesidade no Chile: evidências e desafios para a regulação] Communication Research Trends 32 (2), p. 14-20.

Vandewater E. A., Rideout V., Wartella E. A., Huang X., Lee J.H., Shim M. 2007. Digital Childhood: Electronic Media and Technology Use among Infants, Toddlers, and Preschoolers, Pediatrics [Infância digital: uso de tecnologia e meios eletrônicos por crianças] Nº 119, 1006-1015.

Varela, F., Thompson, E., Rosch, E. (1997). De cuerpo presente. Sicología cognitiva. El perceptor/actor en el mundo. [De corpo presente. Psicologia cognitiva] Barcelona: Gedisa.

Varela, F. y Petitot, J. (2001). Naturaliser la Phenomenologie. [Naturalizar a fenomenologia] Paris: CNRS.

Winnicott, D.W. (1971). Playing and Reality. [O brincar e a realidade] London: Tavistock Publications. Realidad y Juego. Barcelona: Gedisa. (1992).




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v21i2p69-86

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.