Democracia fake, más notícias

  • Natalie Fenton Goldsmiths, Universidade de Londres
  • Des Freedman Goldsmiths, Universidade de Londres
Palavras-chave: mídia livre, democracia, comunicação, democracia fake

Resumo

A mídia e a democracia, assim como Cagney e Lacey ou Starsky e Hutch, são inseparáveis. Não se pode ter um sem ter o outro. A livre troca de ideias, informações e símbolos que alimentam os cidadãos e reconstitui o sistema como um todo tem sido há muito vista como uma das bases de sociedades democráticas. De fato, uma parafernália normativa complexa emergiu para descrever as principais responsabilidades dadas à mídia no surgimento e manutenção da democracia: como um vigilante de poderes desconhecidos, uma tribuna para a população, um defensor das minorias, um quarto poder e uma esfera pública. Diz-se que a mídia livre fornece o oxigênio, a lubrificação ou, mesmo, que é os tendões de uma democracia funcional e robusta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natalie Fenton, Goldsmiths, Universidade de Londres

Professor de Mídia e Comunicação; codiretor do Centro de Pesquisa de Mídia Goldsmiths Leverhulme; codiretor do Centro para o Estudo da Mídia Global e Democracia; Goldsmiths,
Universidade de Londres

Des Freedman, Goldsmiths, Universidade de Londres
Professor do Departamento de Mídia e Comunicação, Goldsmiths, Universidade de Londres

Publicado
2018-06-07
Como Citar
Fenton, N., & Freedman, D. (2018). Democracia fake, más notícias. Comunicação & Educação, 23(1), 107-126. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v23i1p107-126