Os desafios do itinerário: em torno de Murilo Mendes

  • Adilson Odair Citelli Universidade de São Paulo - USP
Palavras-chave: Murilo Mendes, poesias, comentários

Resumo

Apresentação do poeta Murilo Mendes, seguida de poemas e comentários

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Odair Citelli, Universidade de São Paulo - USP

Professor titular do Departamento de Comunicações e Artes da ECA/USP, onde ministra cursos de graduação e pós-graduação. Orienta dissertações e teses nas áreas de Comunicação e Linguagem, com ênfase nas subáreas Comunicação/Educação. É coeditor da revista Comunicação & Educação. Pesquisador 1C do CNPq. Autor de inúmeros artigos e livros, dentre os quais se destacam: Linguagem e persuasão (Ática, 1994), Comunicação e educação: a linguagem em movimento (Senac:2000), Palavras, meios de comunicação e educação (Cortez: 2008).

Referências

“Há em Murilo Mendes um motivo permanente, capaz de abranger as direções principais de sua poesia ao longo da trajetória heterogênea. Ele guarda consigo uma inquietação difícil de ser apaziguada, apresentando ao contrário um movimento contínuo, uma espécie de busca sem termo, de que mesmo o horizonte utópico-religioso do poeta mal pode aliviar a ânsia. Trata-se do motivo da passagem. Ele se manifesta em níveis diversos: existencial, religioso e estético”. MARCONDES DE MOURA, Murilo. Posfácio. As passagens do poeta. In. Antologia. Murilo Mendes. São Paulo, Cosac Naify, 2014, p.493

“Murilo é o poeta de aderência ao ser, poeta cósmico e social que aceita a fruição dos valores primordiais. Tendo mantido firme a sua ânsia libertária, ânsia que partilhou com o Modernismo anterior a 30, jamais cai em formas antiquadas de apologética. Místico, ele perfura a crosta das instituições e dos costumes culturais para morder o cerne da linguagem religiosa, que é sempre ligação do homem com a totalidade. Esse o sentido geral de sua obra, a que só escapa o ciclo de poemas humorísticos anteriores a 30, que fazem o giro piadístico de um Brasil morno e provinciano e ecoam a maneira inicial de Mário e Oswald de Andrade” . BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo, Cultrix, 1972, p. 498

Publicado
2015-05-12
Como Citar
Citelli, A. (2015). Os desafios do itinerário: em torno de Murilo Mendes. Comunicação & Educação, 20(1), 141-145. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v20i1p141-145