A arquitetura moderna e o Condephaat no desafio das práticas seletivas

  • Flávia Brito do Nascimento Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil
Palavras-chave: Arquitetura moderna., Condephaat., Políticas públicas., Patrimônio arquitetônico.

Resumo

O presente artigo discute a proteção à arquitetura moderna pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) em perspectiva histórica, procurando problematizar a compreensão de modernidade e as atribuições de valor à arquitetura do século XX. Trataremos neste artigo das ações que o órgão estadual paulista fará aos bens imóveis modernos discutindo sua relação com o legado discursivo da historiografia da arquitetura. Entendendo que a arquitetura moderna é parte integrante dos cânones do patrimônio nacional, pergunta-se em que medida o moderno no órgão estadual paulista foi capaz de romper com a lógica do foco na arquitetura olhada a partir da crítica e de seus atributos estéticos ou estilísticos. Debateremos o papel da tradição do grupo de arquitetos modernos nas práticas na valoração das obras modernas paulistas, compreendendo de que maneira as progressivas mudanças no patrimônio nos anos 1970, e claramente 1980, trarão para a preservação da arquitetura moderna na ação do órgão estadual paulista, chegando até os tombamentos mais recentes nos anos 2000.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Brito do Nascimento, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Doutora pela Faculdade de Arquitetura e Urabnismo da  Universidae de São Paulo. Docente na graduação e pós-graduação pela mesma instituição. 

Publicado
2019-01-04
Como Citar
Nascimento, F. (2019). A arquitetura moderna e o Condephaat no desafio das práticas seletivas. Revista CPC, 13(26esp), 116-140. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v13i26espp116-140

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)