Áreas naturais tombadas e a proteção da paisagem

  • Sueli Angelo Furlan Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil
Palavras-chave: Paisagens, Área natural tombada, Patrimônio cultural, Public policies.

Resumo

O artigo apresenta uma leitura panorâmica do passado e do presente do tombamento de áreas naturais pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). Ressalta-se a originalidade destes tombamentos com foco na especificidade da proteção da paisagem geográfica.  São apresentadas críticas e sugestões para gestão deste patrimônio e reflexões sobre a importância da ação institucional na proteção do patrimônio natural do Estado de São Paulo nestes 50 anos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sueli Angelo Furlan, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Professora assistente do Departamento de Geografia – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo; mestre e doutora em Geografia Física, pela mesma universidade. Desenvolve pesquisas socioambientais em Conservação de Florestas Tropicais coordenando os Grupos de Pesquisa Paisagem e Territorialidades na Serra do Mar e Unidades de Conservação e Desenvolvimento Local do Laboratório de Climatologia e Biogeografia/FFLCH-USP. Coordenadora do Núcleo de Estudos de Populações Humanas e Áreas Úmidas-USP. Pós-doutoranda em Florestas Culturais na Amazônia.

Publicado
2019-01-04
Como Citar
Furlan, S. (2019). Áreas naturais tombadas e a proteção da paisagem. Revista CPC, 13(26esp), 63-93. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v13i26espp63-92