Tombamentos e demolições na Avenida Paulista na década de 1980

  • Lucília Santos Siqueira Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, São Paulo, Brasil
Palavras-chave: Políticas públicas, Patrimônio arquitetônico., Tombamento (patrimônio)

Resumo

No ano de 1982 algumas mansões da avenida Paulista foram demolidas da noite para o dia, contrariando as determinações do órgão de preservação do patrimônio do estado de São Paulo, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat). As tensões entre este órgão e os proprietários eclodiram no noticiário dos principais jornais. Este artigo analisa os 32 processos de estudo para tombamento de edificações na avenida Paulista abertos nesse ano, bem como as atas das reuniões do Conselho e as matérias jornalísticas do período. A intenção é compreender como a instituição procedeu e como registrou sua atuação nesses casos de edificações oriundas do final do século XIX e das primeiras décadas do século XX. Com isso, espera-se acrescentar elementos para com-preender o complexo jogo de interesses que determina o que conseguimos preservar e o que permitimos que desapareça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucília Santos Siqueira, Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, São Paulo, Brasil

Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo, professora associada no Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo Campus Guarulhos, onde leciona “História, Memória e Patrimônio” no Curso de História e “Educação Patrimonial e Ensino de História” no Programa de Pós-Graduação ProfHistória (mestrado profissional de formação de professores de História).

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Siqueira, L. (2019). Tombamentos e demolições na Avenida Paulista na década de 1980. Revista CPC, 14(28), 37-71. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v14i28p37-71
Seção
Artigos