O patrimônio cultural de Governador Valadares (MG): algumas reflexões

  • Cristiana Maria de Oliveira Guimarães Universidade Vale do Rio Doce
Palavras-chave: Patrimônio, Direito à cidade, Questão urbana

Resumo

Contemporaneamente, as cidades, como todo o resto, passam por significativas transformações. Transformações intrínsecas à sua própria definição e sentido, e outras relacionadas às expectativas e reivindicações em torno delas. A idéia defendida é que as transformações acontecem em duplo sentido: de um lado, o sentido de uma expansão, em extensão; e de outro, um retorno, ao sentido de polis. Esse duplo movimento de extensão e retorno é relacionado a novos valores que se impõem hoje, ao pensarmos o urbano, entre os quais o direito à cidade. Entendemos que o direito à cidade inclui o direito ao patrimônio cultural, à preservação do meio ambiente, à possibilidade das diferenças, entre outros. Nesse sentido, compreendemos que a preservação do patrimônio cultural conforma- se como uma nova questão urbana, que soma- se às "velhas questões urbanas" e, tal como essas, demanda discussões, análises e algumas alternativas. A partir dessas ponderações, pretendemos estabelecer algumas reflexões sobre a questão do direito à cidade, representada pela preservação do patrimônio cultural, e o recente tratamento dispensado a essa questão, em Governador Valadares (MG).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-04-01
Como Citar
Guimarães, C. (2008). O patrimônio cultural de Governador Valadares (MG): algumas reflexões . Revista CPC, (5), 37-52. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i5p37-52
Edição
Seção
Artigos