Canjerê Ibaô: o inventário participativo de patrimônio cultural, a comunidade e as africanidades

  • Alessandra Regina Gama Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Gioás, Brasil
Palavras-chave: Inventário participativo., Cultura afro-brasileira., Memória social

Resumo

As considerações deste artigo resultam de uma investigação que se propôs acompanhar o processo de uma experiência local, defendida na dissertação de mestrado “Canjerê: uma performance cartográfica em patrimônio cultural, educação e africanidades”, realizada pelo Programa de Pós-Graduação Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos. O movimento desta pesquisa considera o inventário participativo como um processo colaborativo  e propositivo no campo das expressividades culturais negras, tecendo reflexões sobre as hostilidades sociais que afetam as singularidades de cultura e memória centradas nas africanidades e como a perspectiva da Ecologia de Saberes pode contribuir para a produção de conhecimentos, numa perspectiva justa e equilibrada de saberes no campo patrimonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Regina Gama, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Gioás, Brasil

Doutoranda em Performances Culturais pela Universidade Federal de Goiás, mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (Bolsista Capes – PPGEd). Licenciatura plena em Educação Física pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Coeditora e mentora de projetos da plataforma web NoBrasil.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Gama, A. (2019). Canjerê Ibaô: o inventário participativo de patrimônio cultural, a comunidade e as africanidades. Revista CPC, 14(28), 163-189. https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v14i28p163-189
Seção
Artigos