“Eu sou quem então?”

o trabalho docente na educação infantil e os impactos da organização do trabalho na dinâmica do reconhecimento

  • Daniela Fischer Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Karine Vanessa Perez Universidade de Santa Cruz do Sul
Palavras-chave: Reconhecimento do trabalho, Trabalho docente, Educação infantil, Saúde do trabalhador, Psicodinâmica do trabalho

Resumo

Este estudo teve como intuito compreender como o reconhecimento do trabalho docente na educação infantil interfere na saúde das professoras. Para isso, buscou entender as modificações no contexto da educação infantil e os fatores produtores de prazer e sofrimento no ambiente laboral. A pesquisa foi realizada em um município do interior do Rio Grande do Sul, com oito docentes da primeira etapa da educação da rede pública, por meio de entrevistas semiestruturadas. A metodologia utilizada foi uma adaptação da psicodinâmica do trabalho strictu sensu. O trabalho docente na educação infantil tem passado por modificações, inclusive em sua organização. Algumas professoras precisaram assumir a responsabilidade pedagógica de mais de uma turma, o que acarretou o aumento da carga de trabalho. Além disso, possuem pouco tempo com as crianças e a principal atividade se refere a atribuições de tarefas. Nesse sentido, a dinâmica da contribuição e do reconhecimento das profissionais é afetada. O reconhecimento é fundamental para que o trabalho tenha sentido para o sujeito. Para as professoras pesquisadas ele provém das crianças com as quais trabalham e é manifestado por meio do afeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Fischer, Universidade de Santa Cruz do Sul

Psicóloga.

Karine Vanessa Perez, Universidade de Santa Cruz do Sul

Psicóloga. Doutora em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Docente do Departamentode Psicologia da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Publicado
2019-09-12
Como Citar
Fischer, D., & Perez, K. (2019). “Eu sou quem então?”. Cadernos De Psicologia Social Do Trabalho, 21(2), 133-147. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/cpst/article/view/150277
Seção
Artigos Originais