Um estrangeiro de mim mesmo: a identidade fragmentada em Berkeley em Bellagio, de João Gilberto Noll

  • Ânderson Martins Pereira Universidade Federal de Pelotas
  • Ariane Avila Neto de Farias Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: autoficção, identidade contemporânea, escrita de si

Resumo

A literatura contemporânea vem expondo cada vez mais o “eu”, trazendo à tona a figura externa do autor, que há muito havia sido morta por pesquisadores estruturalistas. Para alguns teóricos, tais textos vão ser denominados “autoficção”. O presente trabalho busca discutir o romance de João Gilberto Noll, Berkeley em Bellagio (2002) a partir das noções acerca desse sujeito fragmentado apresentadas pelo gênero autoficcional.  Pesquisadores como Diana Klinger defendem que, ao trazer relatos em primeira pessoa, a autoficção, ao mesmo tempo em que parece atender a demanda de um sujeito narcisista, demonstra o desmoronamento da concepção de um sujeito pleno. Tomando por pressuposto a relação da dicotomia “eu” e “outro”, acredita-se que, para a obra aqui analisada, a única forma de se sentir inteiro é abraçar o outro e renegar uma visão fixa de si mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ânderson Martins Pereira, Universidade Federal de Pelotas
Possui graduação em Licenciatura em letras pela Universidade Federal do Pampa (2012) e especialização em Linguagem e Docência (2014), pela mesma instituição. Atualmente é Mestrando do programa de literatura comparada da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), atuando principalmente nos seguintes temas: Utopia, Distopia, transumanidade, pós-modernidade e pós-humanidade.
Ariane Avila Neto de Farias, Universidade Federal de Pelotas
Possui graduação em Licenciatura em Letras-Habilitação potuguês/inglês pela Universidade Federal do Pampa (2011) e especialização em Literatura em Língua Inglesa pela Universidade Cidade de São Paulo (2013). Atualmente é Professor mestranda no programa de literatura comparada na Universidade Federal de Pelotas, bolsista do Inglês sem Fronteira da Universidade Federal do Pampa, assistente em administração da mesma instituição e membro de comitê assessor do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. 

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução de: Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

COSTA PINTO, Manuel da. João Gilberto Noll. In: COSTA PINTO, Manuel da Literatura brasileira hoje. São Paulo: Publifolha, 2004.p. 118-120

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

KLINGER, Diana. Escritas de si, escritas do outro; o retorno do autor e a virada etnográfica. Rio de Janeiro: 7Letras, 2012.

KRISTEVA, Julia. Estrangeiro para nós mesmos. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

NOLL, João Gilberto. Berkeley em Bellagio. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.

_______________. Lorde. Rio de Janeiro: Recorde, 2014.

OLIVEIRA, Marcos. “Nós, poetas de nossas vidas?: desejo, homoafetividade e sujeito pós-moderno em Berkeley em Bellagio, de João Gilberto Noll”, Vivência, Natal, v. 1, n.37, p. 91-103, 2011.

TREFZGER, Fabíola Simão Padilha. “Autoficção: entre o espetáculo e o espetacular”. In: XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada, Anais do XIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Literatura Comparada, Campina Grande. Campina Grande-PB: Editora Realize, 2013. v. 1. p. 1-9, 2013.

Publicado
2016-12-22
Como Citar
Pereira, Ânderson, & Farias, A. (2016). Um estrangeiro de mim mesmo: a identidade fragmentada em Berkeley em Bellagio, de João Gilberto Noll. Revista Criação & Crítica, (17), 105-118. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i17p105-118
Seção
Artigos