Nos limites entre o real e o ficcional: A AIDS na obra de Caio Fernando Abreu

  • Letícia Gonçalves Ozório Silva Universidade Federal da Grande Dourados
Palavras-chave: Literatura, AIDS, Caio Fernando Abreu, autoficção.

Resumo

Na década de 1980, a descoberta do vírus HIV e a epidemia da AIDS causaram grande espanto na população mundial.  Os preconceitos, a exploração midiática e a falta de amparo científico sobre o assunto levaram a literatura brasileira daquela época a se manifestar de forma um tanto retraída. Nesse contexto, surge Caio Fernando Abreu, escritor gaúcho, com textos de caráter intimista que retratavam a doença de forma emocional e chocante, conquistando muitos leitores e marcando a literatura brasileira dessa época. Objetiva-se aqui reconhecer a produção literária intimista de Caio Fernando Abreu como retratista de um momento histórico, usando como base as crônicas “Cartas para além dos muros” (2006) e  o conto “Depois de Agosto” (2011), atentando para o caráter autoficcional da narrativa, e não autobiográfico como costuma ser classificada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, Caio Fernando. A ambiguidade e a indefinição são constantes em meu trabalho. O Estado de São Paulo. São Paulo: Caderno 2, 9 de dez. 1995.

ABREU, Caio Fernando. Caio 3D. O essencial da década de 1980. Rio de Janeiro: Agir, 2005.

ABREU, Caio Fernando. O Ovo Apunhalado. Porto Alegre: L&PM, 2012.

ABREU, Caio Fernando. Ovelhas Negras. Porto Alegre: L&PM, 2011.

ABREU, Caio Fernando. Pequenas Epifanias: crônicas 1986-1995. Rio de Janeiro: Agir, 2006.

BARBOSA, Nelson Luís. Infinitamente pessoal: a autoficção de Caio Fernando Abreu, “o biógrafo da emoção”. Tese (Doutorado). São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências humanas da Universidade de São Paulo, 2008. 401p.

BESSA, Marcelo. Histórias Positivas: a literatura (des)construindo a AIDS. Rio de Janeiro: Record, 1997.

BESSA, Marcelo. Os Perigosos: autobiografias e AIDS. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

CALLEGARI, J. Caio Fernando Abreu: inventário de um escritor irremediável. São Paulo: Seoman, 2008.

DANIEL, Herbert. Passagem para o próximo sonho. Rio de Janeiro: Codecri, 1982.

DIP, Paula. Para sempre teu, Caio F. – cartas, memórias, conversas de Caio Fernando Abreu/Paula Dip. Rio de Janeiro: Record, 2009.

DOUBROVSKY, Serge. Fils. Paris: Galilée, 1977.

DOUBROVSKY, Serge. “O Último eu”. In: NORONHA, Jovita. Ensaios sobre autoficção. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Edições Vértice, 1990.

HOHLFELDT, Antonio. Conto brasileiro contemporâneo. Porto Alegre: Mercado Aberto,1988.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: De Rousseau à Internet. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008

.

PEN, Marcelo. Quem tem medo de Caio F.? In: ABREU, Caio Fernando. Caio 3D. O essencial da década de 1990. Rio de Janeiro: Agir, 2006.

Publicado
2016-12-22
Como Citar
Silva, L. (2016). Nos limites entre o real e o ficcional: A AIDS na obra de Caio Fernando Abreu. Revista Criação & Crítica, (17), 132-145. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i17p132-145
Seção
Artigos