Hervé Guibert: autoficção e o corpo teatralizado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i17p47-60

Palavras-chave:

Hervé Guibert, Corpo, Performance, Autoficção

Resumo

Com base em quatro textos curtos de Hervé Guibert, todos inseridos no volume La mort Propagande, de 1977, este artigo tem como objetivo analisar a dramatização que o autor faz de seu próprio corpo. Produzido e publicado em um contexto de forte debate acerca do estatuto autoral, o texto de Guibert aviva a discussão em torno do conceito de autoficção, chamando a atenção para um processo de ficcionalização de si que, nos textos em questão, passa necessariamente por um esforço de elaboração estética do corpo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Fernandes, Universidade de São Paulo

Mestre em Letras pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Literáarios e Tradutológicos em Francês da Universidade de São Paulo. Email: guilherme.fernandes@usp.br

Referências

BARTHES, Roland. Roland Barthes por Roland Barthes. São Paulo, Cultrix, 1977.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. Trad.: Mário Laranjeira. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BLANCKMEN, Bruno. L'écriture du trahir-vrai (Hervé Guibert lecteur de Roland Barthes. Paris, Centre Georges Pompidou, 17-18 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.herveguibert.net/lcriture-du-trahir-vrai-. Acesso em 15 de outubro de 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

DOUBROVSKY, Serge. Fils. Paris: Galilée, 1977.

DOUBROVSKY, Serge. “O último eu”. In. NORONHA, Jovita Maria Gerheim. Ensaions sobre autoficção. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2014.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro, Graal, 2010.

GENON, Artaud e ERTAUD, Guillaume. Entre textes et photographies: L'autofiction chez Hervé Guibert. In: Image [&] Narrative [e-journal], 19, 2007. Disponível em: http://www.imageandnarrative.be/inarchive/autofiction/genon_ertaud.htm. Acesso em 15 de outubro de 2016.

GENON, Artaud. Roman, jornal, autoficction: Hervé Guibert en ses genres. Paris, Mon petit editeur, 2014.

GUIBERT, Hervé.”La vie sida, entretien avec Antoine de Gaudemar”. In: Libération, 1º de março de 1990.

GUIBERT, Hervé. La piqûre d'amour : et autres textes ; suivi de La chair fraîche, Paris, Gallimard, 1994.

GUIBERT, Hervé. La mort propagande. Paris, Gallimard, 2009.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

LOURO. Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

PEPIN, Claire. “Pouvoir d'action prophétique de l'écriture guibertienne”. Disponível em: http://www.herveguibert.net/#!pouvoir-daction-prophtique-/c73h. Acesso em 15 de outubro de 2016.

POINAT, Frédérique., L’Œuvre siamoise : Hervé Guibert et l’expérience photographique, Paris, L’Harmattan, coll. “Champs visuels”, 2008.

RUUSEL, Stéphane. Articles intréprides: le journalisme d’Hervé Guibert. In: Revue Analyses, vol. 7, nº 2, 2012.

WAGNER, Richard. A obra de arte do futuro. Lisboa: Antígona, 2003.

Downloads

Publicado

2016-12-22

Como Citar

Fernandes, G. (2016). Hervé Guibert: autoficção e o corpo teatralizado. Revista Criação & Crítica, (17), 47-60. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i17p47-60

Edição

Seção

Artigos