O ogro no espelho: Hanibbal Lecter e o mito do homem selvagem

  • Rosane Cardoso Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Marina Oliveira Universidade de Santa Cruz do Sul
Palavras-chave: Hannibal Lecter, Canibalismo, Ogro, Mito do homem selvagem.

Resumo

O canibalismo é uma prática tão antiga quanto a humanidade e compreende muitos desdobramentos. Manifestou-se em períodos de fome intensa, em rituais pagãos e em representações artísticas. Tabu incontestável no Ocidente é visto atualmente como crime hediondo. Na literatura, a personagem que geralmente sintetiza esse tipo de barbárie é o ogro, criatura de índole perversa que quer devorar aqueles que atravessam seu caminho. O canibal/ogro adquire várias formas, de deuses primitivos, passando pela bruxa ou pela madrasta má dos contos de fadas até versões vampirescas. Este artigo discute o canibalismo na narrativa contemporânea, considerando o fascínio que provoca Hannibal Lecter, personagem central dos best-sellers de Thomas Harris e de exitosas narrativas audiovisuais. Colocando o renomado psiquiatra e serial killer na posição de ogro contemporâneo, analisa-se a sua relação, como ogro, com um mito ancestral, o mito do homem selvagem discutido pelo antropólogo Roger Bartra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosane Cardoso, Universidade de Santa Cruz do Sul
Professora Departamento de Letras da Universidade Santa Cruz do Sul (UNISC). Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras da UNISC.
Marina Oliveira, Universidade de Santa Cruz do Sul

Graduada em Letras pela Universidade de Santa Cruz do Sul e pós-graduanda da Uninter–RS

Referências

BARTRA, Roger. El mito del salvaje. México: FEC, 2011.

BRUNEL, Pierre. Dicionário de mitos literários. Trad. Carlos Sussekind. Rio de Janeiro: José Olympio, 1997.

CASOY, Ilana. Serial killers: louco ou cruel? Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2014.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

CIRLOT, Juan-Eduardo. Dicionário de símbolos. São Paulo: Moraes, 1984.

COLOMBO, Cristóvão. Primeira viagem. In: COLOMBO, Cristóvão. Carta a Santagel. Paris: Galimard, [s.d.].

DaMATTA, Roberto. O que faz o Brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

DEMME, Jonathan. O silêncio dos inocentes. Filme. EUA: Orion Pictures, 1991. 140 minutos.

DIEHL, Daniel & DONNELLY, Mark P. Devorando o vizinho: uma história do canibalismo. Trad. Renato Rezende. São Paulo: Globo, 2007.

GONZÁLEZ FÉRRIZ, Ramón. Entrevista con Roger Bartra. Letras Libres. 2004. Disponível em: http://www.letraslibres.com/mexico-espana/entrevista-roger-bartra. Acesso em: 13 de mar. 2017.

GRIMM, Wilhelm & Jacob. Contos de fadas. Belo Horizonte: Villa Rica, 1994.

HARRIS, Thomas. Dragão vermelho. Trad. José Sanz. 4ª ed. Rio de Janeiro: BestBolso, 2015a.

HARRIS, Thomas. Hannibal, a origem do mal. Trad. Gilson Baptista Soares. Rio de Janeiro: BestBolso, 2014.

HARRIS, Thomas. Hannibal. Trad. Alves Calado. Rio de Janeiro: BestBolso, 2015c.

HARRIS, Thomas. O silêncio dos inocentes. Tradução Antônio Gonçalves Penna. 12ª ed. Rio de Janeiro: BestBolso, 2015b.

JACOBS, Joseph (Comp.). English fairy tales. London: David Nutt, 1890. London: David Nutt, 1890. Disponível em: http://www.surlalunefairytales.com/authors/jacobs.html. Acesso em: 20 de mar. 2017.

LECOUTEX, Claude. História dos vampiros: autópsia de um mito. Tradução Alvaro Lorencini. São Paulo, Editora UNESP, 2005.

LOVECRAFT, H. P. O horror sobrenatural na literatura. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1987.

MACIEL, Maria Eunice. Olhares antropológicos sobre a alimentação – Identidade cultural e alimentação. In: CANESQUI, A.M., e GARCIA, R.W.D. (Orgs.). Antropologia e nutrição: um diálogo possível [online]. Rio de Janeiro: FIOCURZ, 2005. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 17 maio 2017.

MANN, Michael. Caçador de assassinos. Filme. Atlanta: De Laurentis Entertainment, 1986. 120 minutos.

O GLOBO. Avião caiu nos Andes e sobreviventes precisaram comer os mortos, em 1972. 2013. Disponível em: http://acervo.oglobo.globo.com. Acesso em: 10 mai. 2017.

O'BRIEN, Daniel. The Hannibal files: The unauthorized guide to the Hannibal Lecter trilogy. Richmond: Reynolds & Hearn, 2001.

PERRAULT, Charles. Contos de Perrault. Belo Horizonte: Villa Rica, 1994.

ROSOSTOLATO, Breno. Antropofagia: o canibalismo sob a luz da psicologia. Disponível em: www.campograndenews.com.br/artigos/antropofagia-o-canibalismo-sob-a-luz-da-psicologia. Acesso em: 16 dez. 2016.

SCHÜRMANN, Ana Elisa. Un remedio difícil de digerir. In: Revista Ciencias de la salud. Vol. 4, n.1, 2014. Disponível em: www.barcelo.edu.ar/uploads/contenido/RCS_-_Un_Remedio_dificil_de_digerir.pdf. Acesso em: 15 mar. 2017.

SIMPSON, Philip L. Making murder: the fiction of Thomas Harris. Santa Barbara: ABC-CLIO, 2010.

SZUMSKYJ, Benjamin (Ed.). Dissecting Hannibal Lecter: essays on the Novels of Thomas Harris. EUA: McFarland & CO Inc., 2007.

TATAR, Maria (Intr.). Grimm’s grimmest. San Francisco: Chronicle Books, 1997.

TATAR, Maria. Contos de fadas. Trad. Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

TATAR, Maria. The hard facts of the Grimms’ fairy tales. Princeton: Princeton University Press, 1987.

TSAI, Feng-shan. Machine and murder: the seduction of Thomas Harris’s Red Dragon. Disponível em http://ir.lib.nchu.edu.tw/bitstream/11455/72675/1/141595-9.pdf. Acesso em: 28 mar. 2017.

Publicado
2017-06-30
Como Citar
Cardoso, R., & Oliveira, M. (2017). O ogro no espelho: Hanibbal Lecter e o mito do homem selvagem. Revista Criação & Crítica, (18), 108-122. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i18p108-122