Pier Della Vigna x Catão de Útica

dois suicidas da Divina Comédia dantesca

  • Maria Célia Martirani Bernardi Fantin Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: suicídio, Divina Comédia, Dante Alighieri, Pier Della Vigna, Catão de Útica

Resumo

Por meio da análise de dois casos da Divina Comédia de Dante Alighieri ( 1998): o de Pier Della Vigna (canto XIII do Inferno) e o de Catão de Útica (de- signado a ser guardião do Purgatório, canto I), o presente estudo visa verificar de que maneira e a partir de quais preceitos filosófico - teológicos, esses do is per- sonagens suicidas são representados por uma das obras - primas da literatura universal. No primeiro caso, segundo o dantólogo Vittorio Sermonti (2018), o poeta é coerente com os ensinamentos de São Tomás de Aquino, expoente má- ximo do período da filosof ia Escolástica, em que os que se auto - aniquilam traem a Deus, pois Este, no momento da criação, concederia ao homem a graça de lhe confiar, em primeiríssima instância, a própria vida. Daí por que os suicidas se- jam condenados à cisão corpo - alma, no círculo dos violentos da tortuosa selva infernal. No segundo, Erich Auerbach (1989), observa que Catão – embora sui- cida e pagão – tenha sido absolvido por Dante, sendo designado ao Purgatório, porque reuniria todas as características capazes de fazer dele uma extr aordiná- ria “figura” de Cristo, já que sua morte voluntária seria heroica, ao escolher o martírio para resgatar Roma da escravidão de César.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Célia Martirani Bernardi Fantin, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ALIGHIERI, D. A. divina comédia. 3 volumes. Trad: Italo Eugenio Mauro. São Paulo: Ed. 34, 2010.

ALIGHIERI, D. A. La commedia. Purgatorio, a cura di GARAVELLI, Bianca e supervisione di CORTI, Maria. Milano: Bompiani, 2002.

AQUINO, T. Suma Teológica. V.6. Trad: Carlos Josaphat Pinto de Oliveira. São Paulo, Loyola, 2005.

AUERBACH, E. Studi su Dante, trad. it. Milano, Feltrinelli, 1989.

CAPPELLARI, M.S.V. As representações visuais do mal na comunicação: imaginário moderno e pós-moderno em imagens da Divina Comédia e do filme Constantine. 353f. (tese de doutorado em Comunicação Social) – Faculdade de Comunicação Social, pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007, p.18.

CÍCERO, M.T. Dos deveres. Trad: Gustavo Barcellos. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOSCA, N. http://dante.datrmouth.edu/search.php, Purgatório 1.70-75 (2003-2006)

GIACALONE, G. http://dante.datrmouth.edu/search.php, Purgatório 1.71-74, 1968.

GÜNTERT, G. Mito e poesia. In: Atti del secondo seminario dantesco internazionale, Firenze: Franco Cesati Editore, 1997.

LUCANO, M.A. Farsália. Cantos de I a V. Trad: Brunno V.G.Vieira. Campinas: Ed. UNICAMP, 2011.

KELEMEN, J. Moralità linguistica: il contrappasso lingusitico. In: Dante filosofo. Spedizioni estetiche e linguistiche. Budapeste: Atlantisz, 2002.

MOORE, E. Studies in Dante, Oxford: Clarendon, II, 1899, p.221n.

PASQUINI, E. & QUAGLIO, A. http://dante.datrmouth.edu/ , Purgatório, 1.72, 1991-1997.

SANTO AGOSTINHO. A cidade de Deus.V. 1 (Livro I a VIII). Trad: J.Dias Pereira. Lisboa: Fundação Calouste Gulberkian, 2006.

SAVATER, F. Etica per un figlio, Bari: Laterza, 1992.

SERMONTI, V. Il suicidio secondo Dante. (Disponível em: <https://www.avvenire.it> Acesso: 08 set 2018).

SPITZER, L. Il canto XIII dell’Inferno. In: Letture dantesche: Inferno (Vol.I), a cura di G.Getto, Firenze: Sansoni, 1965.

VAUCHEZ, André. A espiritualidade na Idade Média Ocidental; séc. VIII a XIII. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995, p.177.

VIRGILIO, P.V.M. Eneida. Tradução: Carlos Alberto Nunes. Organização de João Angelo Oliva Neto. Edição bilíngue. São Paulo: Editora 34, 2014.

Publicado
2019-04-26
Como Citar
Fantin, M. C. (2019). Pier Della Vigna x Catão de Útica. Revista Criação & Crítica, (23), 15-27. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v23i23p15-27