A Literatura coreana no Brasil: quadro atual e desafios

  • Yun Jung Im Park Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP)
Palavras-chave: Literatura coreana, tradução literária, tradutores literários, mercado editorial brasileiro, literatura infantil coreana

Resumo

O presente estudo tem como ponto de par tida um levantamento do que foi produzido em matéria de literatura coreana no Brasil – traduções e trabalhos acadêmicos – , buscando r efletir algumas questões que a circundam e a impactam. Apesar das iniciativas em tradução que datam da década de 80, a literatura coreana no Brasil permanece um campo virtualmente inexplorado, e o recente interesse dos editores – impulsionado pela visibil idade do país no cenário mundial e o Prêmio Internacional Man Booker 2016 concedido para A vegetariana de Han Kang – se depara com a falta de tradutores qualificados. Tais iniciativas, financiadas em quase sua totalidade pelo Literature Translation Institu te of Korea (LTI Korea), têm sido esparsas e díspares, além de dissonantes entre si e em relação a um possível público leitor. Isso porque a literatura infantil coreana, que colheu algum resultado junto ao mercado brasileiro, não é contemplada pela referid a entidade de fomento, o mesmo ocorrendo com a literatura juvenil, a qual teria nos fãs de K - pop um potencial público leitor. Somem - se a isso os problemas cada vez mais graves do mercado editorial brasileiro, a inexistência de tradutores qualificados e uma teia conflitante de fatores que dificultam os passos iniciais da literatura coreana no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARMITSTEAD, C. “Lost in (mis)translation? English take on Korean novel has critics up in arms”. Disponível em: . Acesso em 30/04/2019.
BITTENCOURT, R. L. F.; RUBIO DOS SANTOS, M. “Corpo em flamas: silêncio, ruptura e violência da palavra em A Vegetariana (채식주의자/Chaesik-juija) de Han Kang”. Fragmentum (UFSM), Santa Maria, n. 49, p. 141-157, 2017.
GIRÃO, L. B. S. “Brincando de sombra: Reflexos do projeto poético de Suzy Lee”. Revista Laboratório Literatura e Experimentación, Santiago, v. 15, p. 1-14, 2016.
GIRÃO, L. B. S. Margem à Mostra: limiares narrativos em Suzy Lee e Angela Lago. 2017. 108f. Dissertação de Mestrado – Dep. Literatura e Crítica Literária, Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), 2017.
HAN, K. Chaesikjuuija (A Vegetariana). Paju: Changbi Publishers, 2007.
HAN. K. Hirabeo sigan (Aula de Grego). Seul: Munhakdongne, 2011
HAN, K. The Vegetarian (trans. Deborah Smith). Londres: Portobello Books, 2015.
KIM, A. R. “Ipdong (Primeiro dia de inverno)”. In: KIM, A. R. Bakkateun Yeoreum (É verão lá fora). Seul: Munhakdongnae, 2017.
MOREIRA, Camila Reis. The Vegetarian, de Han Kang literatura coreana traduzida no Brasil. 2016. 139f. Trabalho de Conclusão de Curso – Bacharelado em Letras/Tradução-Inglês, Universidade de Brasília (UnB), Brasilia, 2016.
LEE, S. Onda. São Paulo, Cosac Naify, 2009.
LEE, S. Espelho. São Paulo, Cosac Naify, 2009.
LEE, S. Sombra. São Paulo, Cosac Naify, 2010.
LEE, S. A Trilogia da Margem: o livro-imagem segundo Suzy Lee. São Paulo, Cosac Naify, 2012.
LEE, T. J. Esperando Mamãe (trad. Yun Jung Im). São Paulo, Editora SM, 2012.
PARK, M. G. “Kaseutera (Castela)”. In: PARK, M. G. Kaseutera (Castela). Seul: Munhakdongnae, 2005.
RUBIO DOS SANTOS, M. (Nos) Labirintos Imagéticos de Time (Shigan) de Kim Ki Duk: Olhar, Corpo e discurso amoroso. 2015, 119f. Dissertação de Mestrado – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), Porto Alegre, 2015.
RUBIO DOS SANTOS, M. “O corpo feminino e os lugares de Seul: espaço, gênero e identidade no romance coreano" The Mother's Stake"(Eommanui Malttuk), de Park Wan Seo” Jangada: crítica, literatura, artes, Viçosa, n. 9, p. 52-71, 2017
RUBIO DOS SANTOS, M. “Relendo a Literatura Coreana e o Conceito World Literature: A Literatura Coreana Contemporânea de Autoria Feminina por Han Kang e Park Wan Seo” Revista Athena, v. 14, p. 92-107, 2018.
RUBIO DOS SANTOS, M. “Narrar das/nas sombras: ressignificações da Coreia no pós-Guerra em Chinatown (중국인 거리/ Jungkukin geori) de Oh Jung-hee” In: CUNHA, A. S.; FERREIRA, C.; NEUMANN, G. R.; BITTENCOURT, R. L. F. (Org.) Ilhas Literárias: Estudos de Transárea, Porto Alegre: Editora do Instituto de Letras, v. 1, p. 628-638, 2018.
SANTOS, Fabrícia. A literatura infantojuvenil na Bahia: rumos e perspectivas contemporâneas. 2014, 124f. Dissertação de Mestrado – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2014.
SARAIVA, Jefferson de Moura. “O Sujeito Carnofalogocêntrico em A Vegetariana de Han Kang” Travessias Interativas, v. 12, p. 1-17, 2016.
SEO, J. O. (ed.). Eorini Samguk Yusa (Samguk Yusa para Crianças). Seul: Hyeonamsa, 2006.
SHIN, D. J. O metro vem correndo (trad. Yun Jung Im). São Paulo: Cosac Naify, 2011.
YUN, Charse. You Say Melon, I Say Lemon: Deborah Smith’s Flawed Yet Remarkable Translation of “The Vegetarian”. Korean Exposè, 02/07/2017. . Acesso em 30/04/2019.
YUN, D. J. Guarda-chuva Verde (trad. Yun Jung Im). São Paulo, Editora SM, 2011.
Publicado
2019-10-13
Como Citar
Park, Y. (2019). A Literatura coreana no Brasil: quadro atual e desafios. Revista Criação & Crítica, 1(24), 4-17. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v1i24p4-17