Fotografia e escrita

presença in absentia

  • Laura Taddei Brandini Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Fotografia, Literatura, Morte, Roland Barthes

Resumo

A proposta deste artigo é fazer uma releitura da Câmara clara(1980), de Roland Barthes, tendo em vista a teia de relações que essa obra cria ligando a fotografia, a escrita e o luto. Para tanto, na esteira de numerosos críticos, defendo sua compreensão não como um texto teórico, mas literário, em que o escritor expõe o caminho reflexivo que percorre para tentar reencontrar sua mãe, morta. O diferencial deste texto com relação à fortuna crítica sobre esse, que foi o último livro que Barthes publicou em vida, reside em evidenciar como da contemplação da fotografia o escritor passa à escrita da mesma, que é a escrita do « nada a dizer ». Nesse processo, o tempo, enquanto elemento da narrativa, tem papel fundamental, como minhas análises do texto barthesiano demonstrarão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Taddei Brandini, Universidade Estadual de Londrina

Laura Taddei Brandini (laura@uel.br) é graduada em Letras pela Universidade de São Paulo. Fez mestrado na mesma instituição, tendo estudado as marcas francesas nas crônicas de Tarsila do Amaral, e obteve um Diplôme d’Études Approfondies (DEA) na Universidade de Genebra com uma dissertação sobre autores franceses no Diário Crítico de Sérgio Milliet. É doutora pelas universidades de São Paulo e de Genebra com tese sobre a recepção de Roland Barthes no Brasil. Desde 2009 é Professora de Literatura Francesa e Teorias da Tradução na Universidade Estadual de Londrina. Publicou Crônicas e outros escritos de Tarsila do Amaral (Unicamp, 2008), as traduções das seguintes obras de Antoine Compagnon: Literatura para quê? (UFMG, 2009) e Os Antimodernos: de Joseph de Maistre a Roland Barthes (UFMG, 2011), bem como organizou a coletânea Brasil e França: laços literários (EDUEL, no prelo). Atualmente é pós-doutoranda no Centre de Recherches en Littérature Comparée da Universidade de Paris IV – Sorbonne.

Referências

BARTHES, Roland. A Preparação do romance I – Da vida à obra. Notas de cursos e seminários no Collège de France, 1978-1979. Texto estabelecido, anotado e apresentado por Nathalie Léger. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo : Martins Fontes, 2005.
BARTHES, Roland. A Preparação do romance II – A obra como Vontade. Notas de curso no Collège de France 1979-1980. Texto estabelecido e anotado por Nathalie Léger. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo : Martins Fontes, 2005a.
BARTHES, Roland. Diário de luto. 26 de outubro de 1977 – 15 de setembro de 1979. Texto estabelecido e anotado por Nathalie Léger. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo : WMF Martins Fontes, 2009.
BARTHES, Roland. A Câmara clara. Tradução de Júlio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 2015.
BENJAMIN, Walter. « L’œuvre d’art à l’ère de sa reproductibilité technique ». In Essais II 1935-1940. Tradução do alemão de Maurice de Gandillac. Paris : Denoël, 1983, p. 87-126.
COMPAGNON, Antoine. « Roland Barthes em São Policarpo ». Os Antimodernos. De Joseph de Maistre a Roland Barthes. Tradução de Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte : Editora UFMG, 2011, p. 417-453.
COMPAGNON, Antoine. A Era das cartas. Tradução de Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte : Editora UFMG, 2019.
FONTANARI, Rodrigo. Roland Barthes e a revelação profana da fotografia. São Paulo : EDUC, 2015.
KNIGHT, Diana. « ‘É necessário escolher’ : Barthes diante da aposta de Pascal ». In PINO, Claudia Amigo, BRANDINI, Laura Taddei, BARBOSA, Márcio Venício. Roland Barthes Plural. São Paulo : Humanitas, 2017, p. 29-43.
MARTY, Éric. « Présentation ». In BARTHES, Roland. Œuvres complètes. Edição organizada por Éric Marty. Paris : Seuil, 2002, v. 5, p. 9-22.
MARTY, Éric. Roland Barthes, la littérature et le droit à la mort. Paris : Seuil, 2010.
PINO, Claudia Amigo. Roland Barthes : a aventura do romance. Rio de Janeiro : 7Letras, 2015.
ROGER, Philippe. Roland Barthes, roman. Paris : Grasset, 1986.
SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. Tradução de Rubens Figueiredo. São Paulo : Companhia das Letras, 2003.
SONTAG, Susan. L’Écriture même : à propos de Barthes. Tradução de Philippe Blanchard em colaboração com a autora. Paris : Christian Bourgois, 2009.
THOMAS, Chantal. « La Photo du Jardin d’Hiver ». Critique, Paris, v. 38, n. 423-424, p. 797-804, 1982.
Publicado
2019-12-27
Como Citar
Brandini, L. (2019). Fotografia e escrita. Revista Criação & Crítica, 1(25), 119-132. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v1i25p119-132