A expressão do absurdo existencial

Do conto “A Viagem”, de Yusuf Idris

Autores

  • Beatriz Negreiros Gemignani Mestre em Estudos Árabes pela FFLCH, USP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0ispep96-107

Palavras-chave:

Tradução de contos, Literatura árabe, Yūsuf Idrīs, Mundo absurdo

Resumo

Escritor consagrado da literatura egípcia moderna, Yūsuf Idrīs retrata tanto a realidade de seu tempo em produções de cunho social quanto um mundo absurdo em autorreflexão e busca existencial. Este último caracteriza o seu conto “A viagem” aqui apresentado, cuja tradução pretende refletir os absurdos do original em assunto, ritmo e estilo narrativo. Logo, a tradução do conto manteve construções árabes pouco comuns, como o uso de ordem sintática invertida (com o verbo no final da sentença), a repetição de palavras e expressões, o uso recorrente da reticência e a preferência de orações coordenadas a subordinadas. Outro aspecto complexo da tradução são os coloquialismos egípcios, usados pelo narrador para se dirigir a diferentes personagens de forma depreciativa e satírica, e que buscou-se traduzir por coloquialismos de sentidos e usos semelhantes em língua portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARRESI, C.F. “Lo scrittore egizino Yūsuf Idrīs”. Oriente Moderno, Anno 57, n. 7/8, p. 287-294, jul. 1977.

HAFEZ, S. “The modern Arabic short story”. In: BADAWI, Mohammed Mustafa (ed.) Modern Arabic Literature. Nova York: Cambridge University Press, p. 270-328, 1992.

IDRĪS, Y. “Arriḥla”. In: Al’a‘māl al kāmila 1/(Contos). Cairo: Dar Aššuruq, 1990.

KILPATRICK, H. “The Egyptian novel from Zaynab to 1980”. In: BADAWI, Mohammed Mustafa (ed.) Modern Arabic Literature. Nova York: Cambridge University Press, p. 223-269, 1992.

SOMEKH, S. “Language and theme in the short stories of Yūsuf Idrīs”. Journal of Arabic Literature, v. 6, p. 89-100, 1975.

Downloads

Publicado

2020-09-04

Como Citar

Gemignani, B. N. (2020). A expressão do absurdo existencial: Do conto “A Viagem”, de Yusuf Idris. Revista Criação & Crítica, (spe), 96-107. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0ispep96-107