O que é meu é meu, o que é seu é nosso - Questões de/sobre Cidade de Deus

  • Keila Prado Costa Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Departamento de Letras Modernas

Resumo

O romance de Paulo Lins, Cidade de Deus, teve um processo de criação bastante curioso. Suas duas edições tiveram obras de outros autores como ponto de partida - ou mudança - para a escritura. A primeira, tomou a pesquisa e a obra de Alba Zaluar como fonte e inspiração. A segunda, utilizou a obra cinematográfica de Fernando Meirelles como motivo de revisão. Além disso, tanto para a escritura como para a recepção do livro, o crítico literário, Roberto Schwarz, teve um papel de grande importância, o que nos leva a algumas indagações acerca da relação entre literatura e crítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-10-15
Como Citar
Costa, K. (2008). O que é meu é meu, o que é seu é nosso - Questões de/sobre Cidade de Deus. Revista Criação & Crítica, (1), 31-43. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v1i1p31-43
Edição
Seção
Artigos