Espelho, fratura: notas sobre a crítica de Philippe Lejeune

Autores

  • Ana Amélia Coelho Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Departamento de Letras Modernas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v3i4p182-196

Palavras-chave:

autobiografia, Philippe Lejeune, Jean-Jacques Rousseau

Resumo

Este artigo reflete sobre posturas que o crítico e teórico Philippe Lejeune adota em suas primeiras obras, L'autobiographie en France e Le pacte autobiographique, notadamente em sua relação com um de seus objetos de estudo: as Confissões de Rousseau. Busco perceber sua postura de identidade com o objeto literário e de que maneiras essa identidade é rompida, ao mesmo tempo em que aproximo as posturas de Lejeune a reflexões de caráter teórico sobre o trabalho crítico. Tanto o movimento de identificação como o de ruptura, necessários para essa atividade, serão aqui abordados pela figuração do leitor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-04-15

Como Citar

Coelho, A. A. (2010). Espelho, fratura: notas sobre a crítica de Philippe Lejeune. Revista Criação & Crítica, (4), 182-196. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v3i4p182-196

Edição

Seção

Artigos