Figurações Celibatárias

Autores

  • Rodrigo Santos de Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v5i8p47-55

Palavras-chave:

Erotismo, solidão, solteirona, interdição.

Resumo

Observa-se ao longo da historiografia literária brasileira, sobretudo em romances e em textos de autoria masculina, que personagens femininas celibatárias exercem papéis coadjuvantes, são dotadas de alguma patologia, ridicularizadas ou submetidas à interdição familiar de acordo com padrões sociais vigentes. Este trabalho tem por objetivo especular como a “solteirona” adquire voz e representação ao atuar como protagonista em narrativas curtas. Para essa leitura, são estudados os contos Miss Algrave, de Clarice Lispector, Sr. Diretor, de Lygia Fagundes Telles e o Príncipe sapo, de Caio Fernando Abreu, analisados sob a ótica de três planos temáticos: interdição, erotismo e solidão. Como elementos teóricos motivadores, serão consideradas as percepções de erotismo segundo Octavio Paz, o estudo historiográfico sobre a "solteirona", de Cláudia Maia e o conceito de "texto tagarelice", de Roland Barthes.

 

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-15

Como Citar

Oliveira, R. S. de. (2012). Figurações Celibatárias. Revista Criação & Crítica, (8), 47-55. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v5i8p47-55

Edição

Seção

Artigos