O estrangeiro na ordem do discurso: sujeito e poder

  • Denise Gabriel Witzel Universidade Estadual do Centro-Oeste
  • João Marcos Mateus Kogawa Universidade Estadual do Centro-Oeste
Palavras-chave: Discurso, estrangeiro, monstruosidade, subjetividade

Resumo

Este trabalho busca interpretar alguns efeitos identitários em O Estrangeiro, de Albert Camus. A partir das formulações de Michel Foucault, que apontam a relação entre discurso, sujeito e poder, desenvolvemos um percurso analítico concentrado nos discursos enunciados que, ao subjetivarem o criminoso, identificam-no como um sujeito monstruoso. Para tanto, mobilizamos prioritariamente as séries enunciativas que marcam a indiferença e a insensibilidade na relação mãe e filho, além daquelas que delineiam o ateísmo e o ceticismo do enunciador-personagem. Finalmente, damos visibilidade aos efeitos de sentido que expõem as marcas identitárias que excluem e condenam o sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Gabriel Witzel, Universidade Estadual do Centro-Oeste
Doutora em Linguística e Língua Portuguesa, pela UNESP-FCL - Araraquara-SP; Mestre em Linguística Aplicada, pela UEM-PAraná; professora do Departamento de Letras e do Programa de Mestrado em Letras da UNICENTRO-campus Guarapuava-PR.
João Marcos Mateus Kogawa, Universidade Estadual do Centro-Oeste
Doutor em Linguística e Língua Portuguesa, pela UNESP-FCL - Araraquara-SP com estágio doutoral na Université Sorbonne Nouvelle (Paris III). Prof. do Departamento de Letras e da UNICENTRO-campus Guarapuava-PR.
Publicado
2013-05-22
Como Citar
Witzel, D., & Kogawa, J. M. (2013). O estrangeiro na ordem do discurso: sujeito e poder. Revista Criação & Crítica, (10), 63-72. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i10p63-72
Seção
Artigos