Uma arquetipologia da morte em Venha ver o pôr-do-sol, de Lygia Fagundes Telles

  • André Tessaro Pelinser Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Lygia Fagundes Telles, Ascensão, Queda.

Resumo

Este ensaio analisa o conto de Lygia Fagundes Telles intitulado “Venha ver o pôr-do-sol”, enfatizando a presença de elementos constituintes de uma arquetipologia da morte, à qual se vincula uma série de símbolos responsáveis por consolidar a atmosfera lúgubre da trama e conduzir o leitor sempre em tensão por seus meandros. Busca-se evidenciar de que maneira a autora utiliza-os para construir uma linha de ascensão e queda que percorre toda a narrativa, sinalizando que o movimento ascensional em nada divino culmina na engolição pelo abismo voraz.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Tessaro Pelinser, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, da UFMG. Mestre em Letras, Cultura e Regionalidade, pela Universidade de Caxias do Sul. Bolsista CNPq.

Referências

Bíblia sagrada. São Paulo: Editora Ave-Maria, 2010.

BLANCHOT, M. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

CHEVALIER, J.; GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos. 11. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1997.

DURAND, G. As estruturas antropológicas do imaginário. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GARCÍA MÁRQUEZ, G. Crónica de una muerte anunciada. 25. ed. Buenos Aires: Debolsillo, 2009.

GOTLIB, N. B. Teoria do conto. 11. ed. São Paulo: Ática, 2006.

TELLES, L. F. Venha ver o pôr-do-sol. In: FERNANDES, R. de (Org.). Contos cruéis: as narrativas mais violentas da literatura brasileira contemporânea. São Paulo: Geração Editorial, 2006, p. 224 – 232.

Publicado
2013-11-21
Como Citar
Pelinser, A. (2013). Uma arquetipologia da morte em Venha ver o pôr-do-sol, de Lygia Fagundes Telles. Revista Criação & Crítica, (11), 12-21. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i11p12-21
Seção
Artigos