Babel de papel

  • Gloria Regina Alves de Carvalho Amaral Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Marcus Alexandre Motta Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Literatura, Crítica, Filosofia, História, Teoria, Arte

Resumo

A densidade da leitura lida e traduzida nas palavras de um outro. A densidade que permite esboroar fronteiras: culturais, de gênero, de línguas. Referências que atravessam, narrativas deslocadas, discursos embaralhados. A Trilogia de Nova Iorque é a Babel de Paul Auster: a literatura, a crítica, a história, a arte. Apresentando, representando, reconhecendo a leitura como a grande possibilidade de abarcar em uma mesma torre as diferenças, os atrasos, as discrepâncias, mas também aos encontros e as relevâncias. Mais que ficção ou crítica, a trilogia, qual performance, parece teorizar a filosofia, ficcionalizar a teoria, filosofar com a literatura, historicizar a... Ou nada disso. Talvez, e apenas talvez, seja nada mais que um chamado para dançar com as palavras, seguir os fios dos fios que seguem seus traços...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gloria Regina Alves de Carvalho Amaral, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Mestre em Literatura Brasileira do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Marcus Alexandre Motta, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Professor Adjunto do Instituto de Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.  Professor Doutor do Programa de Pós-Graduação em Letras da Uerj, Áreas de Literatura Portuguesa e Literatura Comparada

Referências

AUSTER, P. “Cidade de vidro”. In:AUSTER, P. (1986) A trilogia de Nova York. Trad. Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

AUSTER, P. O caderno vermelho: histórias reais. Trad. Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

BENJAMIN, W. (1916). Sobre a linguagem em geral e sobre a linguagem humana. Trad. Maria Luiz Moita. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 1992.

BÍBLIA de Jerusalém. São Paulo: Paulus Ed., 2002.

DERRIDA, J. (1987). Torres de Babel. Trad. Junia Barreto. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

GAGNEBIN, J. (1940?) “Walter Benjamin ou a história aberta” (prefácio). In: BENJAMIN, W. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985.

KRAUSE, G. O livro da Metaficção. Rio de Janeiro: Tinta Negra Bazar Editorial, 2010.

Publicado
2013-11-21
Como Citar
Amaral, G. R., & Motta, M. A. (2013). Babel de papel. Revista Criação & Crítica, (11), 96-110. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i11p96-110
Seção
Artigos