Loucura e método: O Sistema do Doutor Pixe e do Professor Penna

  • Luciane Alves Santos Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Departamento de Letras Modernas
  • Maria Alice Ribeiro Gabriel Museu de Tolerância da Universidade de São Paulo Departamento de Pesquisa e Documentação
Palavras-chave: Edgar Allan Poe, Literatura, Loucura

Resumo

O presente estudo pretende discutir o tema da loucura, comparando a perspectiva do narrador em “O Sistema do Doutor Pixe e do Professor Penna” (1845) e outros contos de Edgar Allan Poe. A análise ilustra que a ciência, no século XIX, pretende remover o medo do desconhecido, dominando o mundo natural e suas leis; e que a ficção, o presumido oposto, representa uma extensão da mesma lógica, sob outro nome. Alguns escritores negaram qualquer obrigação de lealdade ao racionalismo científico, e tentaram decifrar esse problema através do sonho e do sobrenatural. Obras fantásticas da literatura gótica – algumas novelas de Hoffmann e contos de Poe – iluminam esses pontos. Poe reinterpretou o Gótico na Era vitoriana, com um narrador não nomeado e não-confiável, que insiste em sua racionalidade. O cômico e o horror grotesco resultam da psicologia dos seus personagens, frequentemente insanos.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Alves Santos, Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Departamento de Letras Modernas

Doutora em Letras pela Universidade de São Paulo.

Professora Adjunta do Departamento de Letras (campus IV) da Universidade Federal da Paraíba.

Coordenadora do grupo de pesquisas Variações do Insólito: do mito clássico à modernidade. UFPB
Maria Alice Ribeiro Gabriel, Museu de Tolerância da Universidade de São Paulo Departamento de Pesquisa e Documentação

Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo.

Museu da Tolerância de São Paulo - Departamento de pesquisa e documentação.

Pesquisadora do grupo de pesquisa Variações do Insólito: do mito clássico à modernidade. CNPq/UFPB

Referências

APOSTOL, Silvia Adriana. Le Fantastique Littéraire en France et en Roumanie. Quelques Aspects au XIXe Siécle: Une Rhétorique de La (Dé)Construction? 381 f. Thèse de doctorat. Université Paris-Est École Doctorale Cultures et Sociétés, Université de Piteşti, Faculté des Lettres, 2011.

BEWLEY, Thomas. Madness to Mental Illness: A History of the Royal College of Psychiatrists. RC Psychc Publications, 2008. Disponível em: http://www.rcpsych.ac.uk/files/samplechapter/madnesstomillnessschap.pdf. Acesso em: 13/08/2014.

BOOTH, Wayne C. The Retoric of Fiction. Chicago & London: The University of Chicago Press, 1983.

BOZZETTO, Roger. Folie et littérature fantastique. La Revue des Ressources, dimanche 30 aôut de 2009. Disponível em: http://www.larevuedesressources.org/folie-et-litterature-fantastique,772.html?lang=pt. Acesso em: 09/08/2014.

CAMELIN, Colette. Bovarysme et Tragique. Fabula –LhT, n° 9, Aprés le bovarysme, mars 2012. Disponível em : http://www.fabula.org/lht/9/camelin.html.Acesso em: 06/08/2014.

FARGIONE, Daniela. The Irony of E.A. Poe’s Lunatick Asylum. Academia.edu. Disponível em:

http://www.academia.edu/1755665/_The_Irony_of_E.A._Poes_Lunatick_Asylum_. Acesso em: 11/07/2014.

IEHL, Dominique. Grotesque et horreur chez Poe. In: ______. Le grotesque. Que sais-je? Paris: Presses Universitaires de France, 1997.

LIND, Sidney E. Poe and Mesmerism. In: PMLA, Vol. 62, n° 4, Dec., 1947, p. 1077-1094. JSTOR. North Carolina State University. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/459150. Acesso em: 27/06/14.

POE, Edgar Allan. Leonor. Tradução anônima. Disponível em: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/Eleonora/pdf/view. Acesso em: 09/08/14a.

______. Histórias Extraordinárias. Tradução de Breno Silveira e outros. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

______. O Sistema do Doutor Pixe e do Professor Penna. Trad. Bruno Penteado. REVISTA LITTERIS, São Paulo, nº 2, maio de 2009.

______. Poesia e Prosa. Trad. Oscar Mendes. São Paulo: Ediouro, 2000.

______. Uma estória das Montanhas Ragged. Tradução anônima. Disponível em: www.share-pdf.com/.../allan-poe-contos-de-terror-mis.pdf. Acesso em: 11/08/14b.

QUINN, Arthur Hobson. Edgar Allan Poe: A Critical Biography. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 2011.

______. The Literature of the American People: an historical and critical survey. New York: Appleton-Century-Crofits, Inc., 1951.

REISS, Benjamin. Theaters of Madness: Insane Asylums and Nineteenth-Century American Culture. Chicago: The University of Chicago Press, 2008.

SOVA, Dawn B. Critical companion to Edgar Allan Poe. A Literary Reference to his Life and Work. New York: VB Hermitage, 2007.

WILLIAMS, Michael J. S. A World of Words: Language and Displacement in the Fiction of Edgar Allan Poe. Durham: Duke University Press, 1988.

WILLIS, Martin. Mesmerists, Monsters, and Machines: Science Fiction and the Cultures of Nineteenth Century. Kent/Ohio: Kent State University Press, 2006.

WILSON, Anthony. Shadow and Shelter: The Swamp in the Southern Culture. Mississippi: The University Press of Mississippi, 2006.

ZIMMERMAM, Brett. Frantic Forensic Oratory: Poe’s “Tell-Tale Heart”. In: BLOOM, Harold. (Ed.) Bloom’s Modern Critic Interpretation: Edgar Allan Poe’s the Tell-Tale Heart and Other Stories. New York: Infobase Publishing, 2009.

Publicado
2014-12-12
Como Citar
Santos, L., & Gabriel, M. A. (2014). Loucura e método: O Sistema do Doutor Pixe e do Professor Penna. Revista Criação & Crítica, (13), 160-171. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i13p160-171
Seção
Artigos