Roland Barthes, da História ao Haicai

  • Marcio Renato Pinheiro da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Universidade de Campinas / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
Palavras-chave: Escrita. Haicai. História. Roland Barthes. Subjetividade.

Resumo

A Preparação do Romance, último curso de Roland Barthes ministrado no Collège de France, promove, em sua primeira parte, um singular apropriação do haicai oriental como forma modelar a partir da qual o ensaísta pretende estruturar sua escrita por vir. Este artigo parte da hipótese segundo a qual, neste processo, Barthes revê as relações entre escrita, história e subjetividade, extremamente recorrentes à sua trajetória intelectual, por um viés bastante distinto de seus primeiros escritos, nos quais a história era a instância privilegiada. Dois aspectos concorrem a isso. Primeiramente, a particularidade mesma do projeto de escrita articulado em A Preparação do Romance, em especial, como nele se delineia uma forma de saber própria à escrita. Em seguida, a maneira como o haicai aí se insere, com ênfase sobre a temporalidade que lhe é subjacente, bastante próxima do Nietzsche da Segunda Consideração Intempestiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcio Renato Pinheiro da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Universidade de Campinas / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
Professor de Teoria Literária da UFRN. Atualmente, afastado para Pós-Doutorado na Unicamp/Fapesp.

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. O conceito de esclarecimento. In: ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Trad. Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985, p. 19-52.

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? In: AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó, SC: Argos, 2009. p. 55-73.

BARTHES, Roland. Œuvres complètes: livres, textes, entretiens. 2. ed. Paris: Seuil, 2002a. 5 t.

BARTHES, Roland. Comment vivre ensemble: cours et séminaires au Collège de France (1976-1977). Org. Claude Coste. Paris: Seuil, 2002b. 254 p.

BARTHES, Roland. Le neutre: notes de cours au Collège de France (1977-1978). Org. Thomas Clerc. Paris: Seuil; Imec, 2002c. 270 p.

BARTHES, Roland. La préparation du roman I et II: cours et séminaires au Collège de France (1978-1979 et 1979-1980). Org. Nathalie Léger. Paris: Seuil; Imec, 2003. 480 p.

FRANCHETTI, Paulo (Org.). Haicai: antologia e história. 4. ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2012. 240 p.

LAPLANCHE, Jean; POLTALIS; Jean-Bertrand. Vocabulário da psicanálise. Dir. Daniel Lagache. Trad. Pedro Tamen. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 554 p.

NIETZSCHE, Friedrich. II consideração intempestiva: sobre a utilidade e os inconvenientes da História para a vida. In: NIETZSCHE, Friedrich. Escritos sobre história. Trad. Noéli Correia de Melo Sobrinho. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2005. p. 67-178.

PERNIOLA, Mario. Virtualidade e perfeição. In: PERNIOLA, Mario. Enigmas: egípcio, barroco e neobarroco na sociedade e na arte. Trad. Carolina Pizzolo Torquato. Chapecó, SC: Argos, 2009. p. 99-114.

RICOŒUR, Paul. Les jeux avec le temps. In: RICOŒUR, Paul. Temps et récit. Paris: Seuil, 1984. t. II, p. 115-188.

Publicado
2015-06-25
Como Citar
Silva, M. R. (2015). Roland Barthes, da História ao Haicai. Revista Criação & Crítica, (14), 60-75. https://doi.org/10.11606/issn.1984-1124.v0i14p60-75
Seção
Artigos