[1]
M. Gama, Quebra de contrato - transparência e opacidade do discurso historiográfico, Rev. Cria. Crít., nº 4, p. 249-257, abr. 2010.