Letras femininas. Mulheres escritoras em Portugal entre os séculos XVI/XVII e XVIII.

  • Alleid Ribeiro Machado Universidade de São Paulo (USP) Universidade Presbiteriana Mackenzie
Palavras-chave: literatura portuguesa de autoria feminina, revisão do cânone tradicional, estudos de gênero, nova história.

Resumo

O presente artigo empreende uma breve revisão da literatura tradicional portuguesa, trazendo à cena os nomes de três escritoras portuguesas que fizeram parte do período histórico-literário seiscentista/setecentista, denominado Barroco, e do Iluminismo do século XVIII. Dessa forma, alinhado à proposta da crítica literária feminista, que tem se empenhado no resgate e estudo de autoras do passado, o artigo revisita excertos das Cartas portuguesas, de Mariana Alcoforado; alguns sonetos de Leonor de Almeida, a Marquesa de Alorna; e trechos do romance As aventuras de Diófanes, de Teresa Margarida da Silva e Orta, estabelecendo-se, assim, um diálogo analítico de viés comparatista entre essas produções e questões de caráter feminista e de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alleid Ribeiro Machado, Universidade de São Paulo (USP) Universidade Presbiteriana Mackenzie
Pós-doutora em Literatura Portuguesa pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo e em Comunicação e Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Foi bolsista pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e pela CAPES. Professora na área de Letras no Centro Universitário Sant'Anna. Linhas de pesquisa: narrativas contemporâneas; estudos culturais; autoria feminina portuguesa; estudos de gênero, corpo e sexualidade. 

Referências

ALCOFORADO, Mariana. Cartas portuguesas. São Paulo: Lpm Editoras, 1997.

ARIÈS, Philipe; DUBY, Georges (Dir). História da vida privada. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

BARRENO, Maria Isabel; COSTA, Maria Velho da; HORTA, Maria Teresa. Novas cartas portuguesas. São Paulo: Círculo do Livro, 1974.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981, v. 1.

CIDADE, Hernani. Marquesa de Alorna: poesias. 2 ed. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1960.

_____. O conceito de poesia como expressão da cultura. Sua evolução através das literaturas portuguesa e brasileira. São Paulo: Saraiva, 1946.

______. Lições de cultura e literatura portuguesas. Da reação contra o formalismo seiscentista ao advento do Romantismo. 2 ed. Coimbra: Coimbra Editores, 1939. v.2.

COELHO, Jacinto do Prado (Dir.). Dicionário de literatura. 3 ed. Porto: Livraria Figueirinhas, 1984. Vols. 1 e 3.

CORRADIN, Flavia Maria S. Arcadismo In: MOISÉS, Massaud (Dir.). A literatura portuguesa em perspectiva. São Paulo: Atlas, 1993. Vol. II.

CRAMPE-CASNABET, Michele. “A mulher no pensamento filosófico do século XVIII”. In: História das mulheres no ocidente: do renascimento à idade moderna. Coimbra: Afrontamento. 1990

DAVIS, Natalie; FARGE, Arlette. Introdução. In: História das mulheres no ocidente: do renascimento à idade moderna. Coimbra: Afrontamento, 1990.

GODINEAU, Dominique. “A mulher”. In: Vovelle, Michel. (org) O homem do Iluminismo. Lisboa: Editorial Presença, 1997.

HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. Lisboa: Jornal do Foro, 1954.

HORTA, Maria Teresa. As luzes de Leonor: a Marquesa de Alorna, uma sedutora de anjos, poetas e heróis. Lisboa: D. Quixote, 2011.

LAQUEUR, Thomas Walter. Inventando o sexo: corpo e gênero, dos gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2001.

LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (Dir.). História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1995.

AUTOR. As personagens femininas de Júlia Nery: paradigmas e representações. Tese de doutorado. FFLCH, USP, 2011.

MOISÉS, Massaud. A literatura portuguesa. 29 ed. São Paulo: Cultrix, 1999.

MONGELLI, Lênia Márcia M. Arcadismo In: MOISÉS, Massaud (Dir.). A literatura portuguesa em perspectiva. São Paulo: Atlas, 1993. Vol. I.

NEVES, Luiz Euclides da Silva. Amor ou paixão? Que sentimento movia Mariana? Revista Lato & Sensu, Belém, v. 4, n. 1, p. 3-5, out, 2003.

PERROT, Michelle. Minha história das mulheres. Trad. Ângela M. S. Corrêa. São Paulo: Contexto, 2007.

RECTOR, Mônica. Mulher Objeto e Sujeito da Literatura Portuguesa. Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa, 1999.

REIS, José Carlos. Escola dos Annales - a inovação em história. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

REIS, Carlos; PIRES, Maria Natividade. História crítica da literatura portuguesa. 2 ed. v.5. Lisboa: Verbo, 1999.

RIBEIRO, Margarida C. Nas malhas do império: história, literatura, mulheres e exclusão. Via Atlântica, n. 12, 2007, p. 13-32.

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo.

ROUGEMONT, Denis de. O amor e o ocidente. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou Da Educação. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

SILVEIRA, Francisco Maciel. Literatura Barroca. São Paulo: Global Editora, 1987.

VIEIRA, Maria Cristina da Costa. O universo feminino n’A esmeralda partida de Fernando Campos. Algés: Difel, 2002.

Internet

ANASTÁCIO, Vanda. Poesia e sociabilidade: Bocage, a Marquesa de Alorna e a Viscondessa de Balsemão. Disponível em <http://www.vanda-anastacio.at/articles/1_ALCIPE_BOCAGE_HAMBURG_locked.pdf>. Acesso em 01/10/2012.

BRANDÃO, Ceila Ferreira. Mulher e literatura no Século das Luzes ou reflexões sobre historiografia literária. Revista mulheres, ano 5, v. 1, 2001. Disponível em < http://www.litcult.net/revistamulheres_vol5.php?id=449 >. Acesso em 01/10/2012.

DALMIRA, Dorothea Engrassia Tavareda. Máximas de virtude e de formosura com que Climenea e Hemirena, Príncipes de Tebas, venceram os mais apertados lances da desgraça. Lisboa: Oficina de Miguel Manescal da Costa, 1752. Disponível em <http://www.nead.unama.br/site/bibdigital/pdf/oliteraria/460.pdf>. Acesso em 01/10/2012.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Machado, A. (2017). Letras femininas. Mulheres escritoras em Portugal entre os séculos XVI/XVII e XVIII. Revista Crioula, (20), 42-75. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2017.137411
Seção
Dossiê: Diálogos de resistência: perspectivas feministas e literatura (ARTIGOS)