Um canto de santomensidade em Histórias da Gravana, de Olinda Beja

  • Thaíse de Santana Santos Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Inara de Oliveira Rodrigues Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)
Palavras-chave: Identidade, Resistência, Literatura são-tomense contemporânea

Resumo

Apresenta-se uma análise dos contos “Lembranças de Ponta Figo” e “Homenagem”, da escritora são-tomense Olinda Beja, publicados em Histórias da Gravana (2011). O objetivo do trabalho é reconhecer como são representados os sentidos de identidade e resistência nessas narrativas. O conjunto de contos que compõem a referida obra literária exala sentidos de santomensidade e, dessa maneira, a literatura apresenta-se como forma de resistência identitária com grande importância na construção de um ideário de nação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaíse de Santana Santos, Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Mestranda em Estudos Literários na Universidade Federal de Viçosa. Pesquisadora no Grupo Literatura, História e Cultura: encruzilhadas epistemológicas (CNPq/UESC).
Inara de Oliveira Rodrigues, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)
Professora Doutora do Curso de Letras (graduação e mestrado) da Universidade Estadual de Santa Cruz. Coordenadora do Grupo de Pesquisa  Literatura, História e Cultura: encruzilhadas epistemológicas (CNPq/UESC).

Referências

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: A África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BEJA, Olinda. Histórias da Gravana. São Paulo: Escrituras, 2011.

BENJAMIN, Walter. O narrador: consideraçõies sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Obras escolhidas I – Magia e Técnica – Arte Política. 7ª ed. São paulo: Brasiliense, 1994.

BONNICI, Thomas. Teoria e Crítica Pós-Colonialistas. In: BONNICI, Thomas; ZOLIN, Lúcia Osana (Org.). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. Maringá: Eduem, 3. ed. rev. e ampl., 2009, p. 264. p. 257-287.

CANDAU, Joel. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2011.

DAVID, Débora Leite. Inocência Mata: a essência dos caminhos que se entrecruzam. 2008. Entrevista publicada na Revista Crioula, em maio de 2009, n. 05. São Paulo: 2009. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/crioula/article/viewFile/54948/58596>. Acesso em jul de 2013.

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Velho e velhice nas Literaturas Africanas de Língua Portuguesa contemporâneas. In: BARBOSA, Maria José Somerlate (Org.). Passo e compasso: nos ritmos do envelhecer. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

MATA, Inocência. O pós-colonial nas literaturas africanas de língua portuguesa. Congresso Internacional da ALADAA (Associação latino-americana de estudos de Ásia e África, 10, 2000, Rio de Janeiro. Anais. Disponível em: bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/aladaa/mata.rtf. Acesso em ago de 2016.

QUEIROZ, Amarino Oliveira. Onde canta o ossobó: vozes literárias femininas do arquipélago de São Tomé e Príncipe. Revista da União dos Escritores de Angola, v. 6, n. 1, Luanda, ago, 2012, p. 1-11. Disponível em: <http://www.uea-angola.org/artigo.cfm?ID=882>. Acesso em: 13 de jul. de 2016, p. 2.

RODRIGUES, Inara de Oliveira. Oralidade e questões identitárias em Pé-de-perfume, de Olinda Beja. Revista Desenredo, v. 7, n. 1, Passo Fundo, jun, 2011, p. 19-31. Disponível em: <http://www.upf.br/seer/index.php/rd/article/view/1911/1207>. Acesso em: 08 de jul. de 2015.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Record, 2000.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Santos, T., & Rodrigues, I. (2017). Um canto de santomensidade em Histórias da Gravana, de Olinda Beja. Revista Crioula, (20), 337-354. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2017.137486
Seção
Dossiê: Diálogos de resistência: perspectivas feministas e literatura (ARTIGOS)