Sangria: palavra de corte de Luiza Romão

  • Bruna Renata Bernardo Escaleira Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: poesia, literatura brasileira, literatura feita por mulheres

Resumo

Para “escavar” e expor as estruturas machistas que sustentam as ideias dominantes de “Brasil”, a poeta constrói uma linha narrativa que liga um poema ao outro e leva o leitor numa espécie de “epopeia”, misturando as fases da criação nacional aos períodos do ciclo menstrual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Renata Bernardo Escaleira, Universidade de São Paulo (USP)
Mestranda no Programa de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa - FFLCH/USP. Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade de São Paulo (2011) e pós-graduada lato sensu em Jornalismo Cultural (2015) pela Fundação Armando Álvares Penteado FAAP).

Referências

ESCALEIRA, Bruna. Poeta mostra a história do Brasil sob a ótica de um útero. Revista Azmina. 26/09/2017. Disponível em: http://azmina.com.br/2017/09/poeta-mostra-a-historia-do-brasil-sob-a-otica-de-um-utero/

ROMÃO, Luiza Sousa. Sangria. São Paulo: Edição do Autor: Selo do Burro, 2017.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
Escaleira, B. (2017). Sangria: palavra de corte de Luiza Romão. Revista Crioula, (20), 503-508. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2017.140450
Seção
Dossiê: Diálogos de resistência: perspectivas feministas e literatura (Resenhas)