Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Quarto de Despejo: uma análise acerca do racismo e da branquitude

Jorge Luis Felizardo dos Santos

Resumo


O presente artigo procura analisar o livro Quarto de Despejo, obra de Carolina Maria de Jesus, tendo como foco a temática étnico racial, pois entendemos que é na superação das barreiras raciais que residirá uma sociedade mais plural, que entenda que diferença não está relacionada com desigualdade ou desnível social. Atentando-nos a alguns excertos dessa obra, que faz referência ao elemento branco é que intentaremos discutir a visão do branco em relação a si mesmo. 


Palavras-chave


branquitude; literatura; racismo

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, Jorge. Elevador. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2017.

ARAÚJO, Telmo Rogério da Silva. Raimundo Nina Rodrigues e a questão racial brasileira no séc. XIX. Revista Margens Interdisciplinar, v. 1, n. 1, p. 87-96, 2016. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2017.

BANTON, Michael; BESSA, Antônio Marques. A idéia de raça. Lisboa: Edições 70, 1979.

BENEVIDES, Maria Victória. O Governo Kubitschek: a esperança como fator de desenvolvimento. In: GOMES, Ângela de Castro (Org.). O Brasil de JK. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

BENTO, Maria Aparecida Silva. Branqueamento e branquitude no Brasil. 2012. Disponível em: Acesso em: 28 jun. 2017.

CARDOSO, Lourenço. Retrato do branco racista e anti-racista. 2010. Disponível em: , Acesso em: 18 maio 2017.

JESUS, Camila Moreira de. Branquitude x branquidade: uma análise conceitual do ser branco. 2012.

LABORNE, Ana Amélia de Paula. Branquitude e colonialidade do saber. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), v. 6, n. 13, p. 148-161, 2014.

EXTRA. Adolescente atacado por grupo de ‘justiceiros’ é preso a um poste por uma trava de bicicleta, no Flamengo. 03 fev. 2015. Disponível em: Acesso em: 02 jul. 2017.

FAUSTO, Bóris. História do Brasil. 2. ed. São Paulo: EDUSP/FDE, 1995.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51. ed. rev. São Paulo: Global, 2006.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: Diário de uma favelada. 10. ed. São Paulo: Editora Ática, 2014.

LUCINDA, Eliza. Carolina de Jesus é literatura sim! Publishnews. 24 abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017.

MEYRER, Marlise Regina. A vassoura, a simpatia e a espada: Imagens da democracia brasileira nos anos 50. Revista Tempo e Argumento, v. 4, n. 2, 2012. Disponível em: Acesso em: 10 set. 2017.

MEIHY, José Carlos Bom Sebe. Repensando Carolina Maria de Jesus. Revista Diversitas, n. 3, p. 520-529, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2017.

MUNANGA, Kabengele. As facetas de um racismo silenciado. Raça e diversidade, p. 213-229, 1996.

PAULINO, Maria Graça. Presenças da teoria literária no ensino médio: o percurso de um manual escolar. Itinerários - Revista de Literatura, 2001.

REVISTA FÓRUM. Disponível em: . Acesso em: 21 abr. 2017.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o encardido, o branco e o branquíssimo: branquitude, hierarquia e poder na cidade de São Paulo. São Paulo: Annablume, 2014.

STRIEDER, Inácio. Democracia Racial a partir de Gilberto Freyre. Perspectiva Filosófica, vol. VIII, n. 15, Recife, jan.-jun./ 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2018.142719

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.