O enfrentamento cotidiano do silêncio: escrita diarística e homossexualidade na literatura brasileira, os diários de Lúcio Cardoso, Walmir Ayala e Harry Laus

Palavras-chave: homossexualidade, silêncio, censura, diário, literatura brasileira

Resumo

O objetivo deste texto é, em primeiro lugar, explorar a relação, antiga e constante, entre a homossexualidade e o silêncio. Num segundo momento, o intuito é mostrar como os diários de Lúcio Cardoso, Walmir Ayala e Harry Laus, escritos no Brasil dos anos de 1960, foram os primeiros textos literários autobiográficos brasileiros a lidarem com a tensão entre a vida pública e a vida privada, tensão advinda, em grande parte, do modo como a expressão da homossexualidade sempre foi silenciada ao longo da história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel da Silva Moreira, Universidade Federal de Juiz de Fora
Doutor em Letras: Estudos Literários pela Universidade Federal de Juiz de Fora

Referências

AYALA, Walmir. Diário I. Difícil é o reino. Rio de Janeiro: GRD, 1962.

CADY, Joseph. Censorship. In: SUMMERS, Claude J. (Org.). The Gay and lesbian literary heritage. New York: An Owl Book, 1997, p. 151-156.

CARDOSO, Lúcio. Diários. Organização, apresentação, cronologia, estabelecimento de texto e notas de Ésio Macedo Ribeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

GREEN, James N. Desafiando heróis e mitos nacionais: homossexualidades nas margens da história brasileira. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 20., 1999, Florianópolis. História: fronteiras. Anais do XX Simpósio da Associação Nacional de História. São Paulo: Humanitas – FFLCH-USP/ANPUH, 1999, p. 871-881.

LAUS, Harry. Diários: espaço de presença e ausência de Harry Laus. Edição crítico-genética de Taíza Mara Rauen Moraes. Joinville: Letradágua, 2005.

LEJEUNE, Philippe. Le journal comme “antifiction”. Poétique 1/2007 (n° 149), (p. 3-14). Disponível em: <http://www.cairn.info/revue-poetique-2007-1-page-3.htm>. Acesso em: 14 nov. 2016.

_______. O pacto autobiográfico – de Rousseau à internet. Trad. Jovita Maria Gerheim Noronha e Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

MOREIRA, Daniel da Silva. Escritas de si e homossexualidade no Brasil: os diários de Lúcio Cardoso, Walmir Ayala e Harry Laus. 2017. 319 f. Tese (Doutorado em Letras: Estudos Literários) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Letras. Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários, Juiz de Fora, 2017. Tese orientada pela Profa. Dra. Jovita Maria Gerheim Noronha. Disponível em: <https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/5909>. Acesso em: 30 mar. 2018.

SARAIVA, F. R. dos Santos. Novíssimo dicionário latino-português. 12. ed. Rio de Janeiro: Livraria Garnier, 2006.

SIMONET-TENANT, Françoise. À la recherche des prémices d’une culture de l’intime. In: COUDREUSE, Anne; SIMONET-TENANT, Françoise (Org.). Pour une histoire de l’intime et de ses variations. Paris: L'Harmattan, 2009, p. 39-62.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. Rio de Janeiro: Record, 2007.

_______. Introdução. In: CAMINHA, Adolfo. Bom Crioulo. São Paulo: Hedra, 2009.

Publicado
2018-06-30
Como Citar
Moreira, D. (2018). O enfrentamento cotidiano do silêncio: escrita diarística e homossexualidade na literatura brasileira, os diários de Lúcio Cardoso, Walmir Ayala e Harry Laus. Revista Crioula, (21), 291-323. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2018.143335
Seção
Dossiê: Cânone e silêncios: o (não) lugar das minorias na Literatura (ARTIGOS)