Portugal e Angola: poéticas de pólvora

  • Adilson Fernando Franzin Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV)
Palavras-chave: literatura angolana, cinema português, Pepetela, Manoel de Oliveira, pós-colonialismo

Resumo

Por meio de um viés comparatista, pretendemos tecer algumas considerações a cerca de literatura e cinema, baseando-nos em Mayombe, romance do escritor angolano Pepetela, e Non, ou a vã glória de mandar, filme de Manoel de Oliveira, cineasta português. Dessa forma, ambas as obras contribuirão para recuperarmos criticamente uma memória colonial e um passado que se apresenta, sob muitos aspectos, ainda silenciado pela História.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Fernando Franzin, Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV)
Adilson Fernando Franzin possui graduação em Letras, Português/Francês, pela UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008). Detém o título de Mestrado em Estudos Lusófonos pela Universidade Paris 8 - Vincennes-Saint-Denis (2014). É doutorando em Estudos Portugueses pela Universidade Paris-Sorbonne (Paris IV), em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP). Tem experiência profissional e especial interesse pelo ensino de línguas e literaturas, notadamente, brasileira, portuguesa e africanas de expressão portuguesa. É membro do CRIMIC (Centre de Recherches Interdisciplinaires sur les Mondes Ibériques Contemporains) desde 2014.

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. Disponível em: http//www.pordentrodaafrica.com. Acesso em: 18 dez. 2017.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981.

BESSA-LUÍS, Augustina. Adivinhas de Pedro e Inês. Lisboa: Guimarães Editores, 1983.

CAMÕES, Luís Vaz de. Os Lusíadas. São Paulo: Escala Educacional, 2005.

CHAVES, Rita; MACÊDO, Tania (orgs.). Portanto... Pepetela. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009.

LABAN, Michel. Angola, Encontro com Escritores II vol. Porto: Fundação Engenheiro António de Almeida, 1998.

LEITE, Ana Mafalda. A discursividade épica em Mayombe de Pepetela. In: Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian/ACARTE, 1987, p. 35-43.

LEPECKI, Maria Lúcia. Rigorosamente um romance. Revista Expresso, p. 16-17, abr. 1982.

OLIVEIRA, Manoel de. Non ou a vã glória de mandar (filme), 1990.

PADILHA, Laura Cavalcante. Pepetela e a Sedução da Montagem Cinematográfica: Breves Recortes. In: CHAVES, Rita; MACÊDO, Tania. (orgs.). São Paulo: Ateliê Editorial, 2009, p. 209-223.

PAZ, Octavio. Signos em rotação, tradução de Sebastião Uchoa Leite. São Paulo: Perspectiva, 2012.

PEPETELA. Mayombe. São Paulo: LeYa, 2013.

PORTUGAL, Francisco Salinas. A máscara do sagrado: uma leitura mitocrítica de Mayombe. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2001.

SARAMAGO, José. A História do Cerco de Lisboa. Rio de Janeiro: Globo, 2003.

XAVIER, Ismail. A morte do Alferes Cabrita e a paixão portuguesa. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, ed. 97, v. 32, n. 3, nov. 2013.

Publicado
2018-06-30
Como Citar
Franzin, A. (2018). Portugal e Angola: poéticas de pólvora. Revista Crioula, (21), 620-640. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2018.143441