A paisagem como questão política para Ruy Duarte de Carvalho

  • Renata de Oliveira Klipel Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Maria-Benedita Basto Sorbonne Université
Palavras-chave: Romance Angolano, Ruy Duarte de Carvalho, Paisagem, Experiência, Memória

Resumo

Este artigo propõe uma leitura do caráter político que o autor angolano Ruy Duarte de Carvalho percebe na paisagem, no livro As paisagens propícias (2005). Dedicando sua produção literária à preservação da memória dos povos Kuvale, povos nômades, rurais, analfabetos e ambicionando manter vivas as suas tradições e o seu modo de vida, Ruy Duarte acaba por propor reflexões sobre as consequências do colonialismo na sociedade angolana que aderiu aos valores da civilização ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata de Oliveira Klipel, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Graduada pela Université de Paris-Sorbonne, Paris IV, (atual Sorbonne Université) em Langues, Littératures et Civilisations étrangères et régionales, no percurso “Portugais” (2016). Graduada em Licenciatura em Letras
Português/Francês, pela UFRGS (2017). 

Maria-Benedita Basto, Sorbonne Université

Maître de conférences, em Estudos Lusófonos, UFR Études ibériques et latino-américaines. Professora de literaturas Africanas de Língua Portuguesa, Sorbonne Université, CRIMIC/IMAF. 

Referências

BASTO, Maria-Benedita. Danse de l’histoire, écritures mobiles: enjeux contemporains dans les littératures de l’Angola et du Mozambique. L’Afrique aujourd’hui: lettres et cultures. Paris: Revue de littérature comparée, vol. 340, n. 4, 2011, p. 454-474. Disponível em: <https://www.cairn.info/revue-de-litterature-comparee-2011-4-page-454.htm>. Acesso em: 13 jun. 2018.

CARVALHO, Ruy Duarte. As paisagens propícias. Lisboa: Cotovia, 2005b.

______. Uma espécie de habilidade autobiográfica. Lisboa: Jornal de Letras, 2005a. Republicado em Buala (site): Cultura Africana Contemporânea. Coord. Marta Lança, 2010. Disponível em: <http://www.buala.org/pt/ruy-duarte-de-carvalho/uma-especie-de-habilidade-autobiografica>. Acesso em: 01 jun. 2018.

______. Os papéis do inglês. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CHAVES, R.; CAN, N. De passagens e paisagens: geografia e alteridades em Ruy Duarte de Carvalho. Revista do Núcleo de Estudos de Literatura Portuguesa e Africana da UFF, vol. 8, nº 16, 1º sem., jul. 2016. Disponível em: <http://www.revistaabril.uff.br/index.php/revistaabril/article/view/348/275>. Acesso em: 10 jun. 2018.

CROSARIOL, Isabelita. O legado de Próspero: uma investigação do projeto narrativo de Ruy Duarte de Carvalho. 2013. Disponível em: <http://www.dbd.puc-rio.br/pergamum/biblioteca/php/mostrateses.php?open=1&arqtese=0912711_2013_Indice.html>. Acesso em: 06 jun. 2018.

HENRIQUE, Isabel Castro. A materialidade do simbólico: marcadores territoriais, marcadores identitários angolanos (1880-1950). Textos de História, vol. 12, n. 1/2, 2004. Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/textos/article/viewFile/6023/4982>. Acesso em: 10 jun. 2018.

LEITE, Ana Mafalda. Radicação, reescrita e recomposição: a poesia de Ruy Duarte de Carvalho”. In: ______. Oralidades e escritas pós-coloniais. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 2012.

PADILHA, Laura. Entre voz e escrita: o lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. Niterói: EdUFF, Rio de Janeiro: Pallas Editora, 2007.

TETTAMANZY, Ana Lúcia Liberato. Ficções de si: auto-etnografia em Ruy Duarte de

Carvalho. Mulemba. Rio de Janeiro: UFRJ, vol. 1, n. 7, p. 4-19, jul./dez. 2012. Disponível em:

<http://setorlitafrica.letras.ufrj.br/mulemba/artigo.php?art=artigo 7_1.php>. Acesso em: 11 jun. 2018.

VALLE, Laura Regina Santos Dela. O espaço vivido: literatura e antropologia em Ruy Duarte de Carvalho. 2015. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/116625/000965400.pdf?sequence=1>. Acesso em 09 jun. 2018.

Publicado
2018-12-26
Como Citar
Klipel, R., & Basto, M.-B. (2018). A paisagem como questão política para Ruy Duarte de Carvalho. Revista Crioula, 1(22), 63-76. https://doi.org/10.11606/issn.1981-7169.crioula.2018.150321