Poesia e exílio: passos do decadentismo português

  • Patrícia Helena Baialuna de Andrade
Palavras-chave: Exílio, Simbolismo, Modernidade, Poesia portuguesa

Resumo

O período conhecido como fin-de-siècle, que compreende a passagem do século XIX para o século XX, foi marcado por intensas mudanças no cenário artístico europeu; da tendência simbolista ao decadentismo, das vanguardas europeias aos primórdios do modernismo, a época foi de muitas propostas e experiências pelo novo. Ao traçarmos um breve panorama das principais questões sociais e filosóficas que marcaram o cenário português do período, procuramos neste ensaio mostrar de que formas a poesia portuguesa, do simbolismo à Geração de Orfeu, de fato se apropriou das tendências que estavam presentes no discurso de artistas e críticos da época. Trazendo como exemplo alguns trechos de poemas do período, percorremos uma época tendo como fio condutor a postura existencial do eu poético que se sente exilado, não-pertencente ao mundo em franca modernização que o cerca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Helena Baialuna de Andrade
Doutora em Estudos Literários pela Unesp, campus Araraquara.

Referências

BACHELARD, G. O ar e os sonhos: ensaio sobre a imaginação do movimento. Tradução de António Danesi, Ed. Martins fontes, São Paulo. 1990.
BALAKIAN, A. O Simbolismo. São Paulo: Perspectiva, 2000.
CASTRO, E. Obras Completas. Vol. VI. Lisboa: Imprensa nacional, 1940.
ESPANCA, F. Poesia de Florbela Espanca. Volume 2. Porto Alegre: L&PM, 2002.
FRIEDRICH, Hugo. Estrutura da lírica moderna: da metade do século XIX a meados do século XX. Tradução de Marise M. Curioni. São Paulo: Duas Cidades, 1978. (Problemas atuais e suas fontes, 3).
GUIMARÃES, Fernando. Poética do Simbolismo em Portugal. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1990. (Temas Portugueses).
______. Simbolismo, modernismo e vanguardas. Porto: Lello & Irmão, 1992.
KAYSER, Wolfgang. Análise e interpretação da obra literária. Trad. de Paulo Quintela. 6ª edição portuguesa totalmente revista pela 16ª alemã. Coimbra: Arménio Amado Editor, Sucessor, 1976.
MONTEIRO, A.C. A poesia da Presença. Lisboa: Moraes editores, 1972.
MOISÉS, Massaud. A literatura portuguesa. 33ª edição. São Paulo: Cultrix, 2005.
MORETTO, Fúlvia M. L. (Org). Caminhos do decadentismo francês. São Paulo: Perspectiva, Editora da Universidade de São Paulo, 1989. (Textos, 9).
NOBRE, A. Poesia. Introdução de Luís da Câmara Cascudo. Rio de Janeiro: Agir, 1967.
OLIVEIRA MARQUES, A. H. Historia de Portugal. Vol. II: de las revoluciones liberales a nuestros dias. Lisboa: Palas Editores, 1974.
PESSOA, Fernando. Obra Poética. Organização, introdução e notas de Maria Aliete Galhoz. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1999.
SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e representação. São Paulo: Abril Cultural, 1985.
WILSON, Edmund. O castelo de Axel: estudo sobre a literatura imaginativa de 1870 a 1930. Tradução de José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1985.
Publicado
2018-12-31
Como Citar
Andrade, P. (2018). Poesia e exílio: passos do decadentismo português. Revista Desassossego, 10(20), 22-43. https://doi.org/10.11606/issn.2175-3180.v10i20p22-43