Filosofia e análise cinematográfica

  • Yanet Aguilera Viruez Franklin de Matos Universidade Federal de São Paulo
Palavras-chave: Deleuze, Hegel, Diferença, Contradição, Negatividade

Resumo

A relação entre filosofia e cinema está cada vez mais presente nas reflexões dos filósofos contemporâneos. Muitos deles escreveram livros que unem pensamentos filosóficos e análises fílmicas. Em geral, esta interdiscursividade lhes permitiu pôr na berlinda a concepção de imagem pressuposta tanto na filosofia como no cinema. Trata-se de examinar as teorias e a análise que Gilles Deleuze e Jacques Rancière fizeram de Vertigo, de Alfred Hitchcock, para entender a relação que ambos estabeleceram entre filosofia e prática fílmica analítica. O objetivo final é problematizar as conexões entre imagem e narrativa, que se revelam nessa junção e que fazem parte da tradição filosófica e cinematográfica. Ao mesmo tempo, propomos uma análise que considere o texto e a linguagem cinematográfica a partir da imagem, subvertendo desta forma a abordagem tradicional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-05
Como Citar
Matos, Y. A. (2016). Filosofia e análise cinematográfica. Discurso, 46(2), 201-216. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2016.123676
Seção
Artigos