O conceito moderno de sociedade civil: do jusnaturalismo à economia política

Autores

  • Leonardo André Paes Müller Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2017.141437

Palavras-chave:

Sociedade civil, Jusnaturalismo, Economia política, Carência, Justiça, Polícia.

Resumo

Partindo da teoria da eticidade de Hegel, onde a sociedade civil é apresentada como o momento intermediário entre a família e local privilegiado da sociabilidade própria ao sujeito de direitos (pessoa), o presente artigo explora o modo como os três momentos da sociedade civil (sistema de satisfação de carências, administração da justiça e polícia) foram teorizados ao longo da segunda metade do século XVIII pela então nascente economia política, compreendida aqui como um desdobramento da moderna teoria do direito natural. Paralelamente, investiga-se o modo como, nesse mesmo período, o termo sociedade civil começa a ser empregado por economistas com um significado diferente do tradicional e até então vigente (onde sociedade civil é sinônimo de Estado), designando uma esfera organizada a redor de princípios não políticos e cuja análise exige um novo aparato conceitual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-09

Como Citar

Müller L. A. P. (2017). O conceito moderno de sociedade civil: do jusnaturalismo à economia política. Discurso, 47(2), 145-166. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2017.141437

Edição

Seção

Artigos