O desmatamento na Amazônia e a importância das áreas protegidas

  • Leandro Valle Ferreira
  • Eduardo Venticinque
  • Samuel Almeida
Palavras-chave: Amazônia, Desmatamento, Áreas protegidas

Resumo

O MODELO da ocupação demográfica da Amazônia legalnos últimos cinqueta anos tem levado a níveis significativos de desmatamento, resultante de múltiplos fatores, tais como a abertura de estradas pioneiras, o crescimento das cidades, a ampliação de pecuária extensiva, a acelerada exploração madeireira e a crescente agricultura intensiva de monoculturas. A área cumulativa desmatada na Amazônia legal brasileira chegou a cerca de 653.000 km² em 2003, correspondendo a 16,3% da região. Este estudo visou a determinar o desmatamento dentro e fora dos atuais Unidades de Conservação (UC) e Terras Indígenas (TI) na Amazônia legal, nos estados de Mato Grosso, Rondônia e Pará, que, juntos, corresponderam por mais de 90% do desmatamento observado entre 2001 e 2003. Os resultados mostraram que o desmatamento foi cerca de dez a vinte vezes menor dentro das Unidades de Conservação e Terras Indígenas do que em áreas contíguas fora delas. Isto demonstra a importância dessas áreas protegidas para diminuir o processo do desmatamento nos três estados. Isto refuta a hipótese generalizada de que estas áreas não cumprissem a sua função principal na conservação e uso racional dos recursos na Amazônia legal.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2005-04-01
Como Citar
Ferreira, L., Venticinque, E., & Almeida, S. (2005). O desmatamento na Amazônia e a importância das áreas protegidas . Estudos Avançados, 19(53), 157-166. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10052
Seção
Dossiê Amazônia Brasileira I