A maioria sempre tem razão: ou não

  • Nilson José Machado Universidade de São Paulo; Faculdade de Educação
Palavras-chave: Maioria, Democracia, Ciência, Consciência, Integridade

Resumo

NESTE ARTIGO são examinados os contextos, os âmbitos, as circunstâncias em que o recurso à regra da maioria é um procedimento adequado, em contraposição a outros em que ele não faz sentido. A associação automática de tal regra ao funcionamento dos regimes democráticos é certamente indevida, uma vez que neles convivem harmoniosamente eleições e indicações. Também parece indevido recurso a tal regra em temas relativos à ciência, em situações que envolvem patente irreversibilidade, em questões de consciência ou de integridade pessoal. A temática é complexa e toda tentativa de fechamento de questão, ainda que sedutora, conduz a aporias do tipo sugerido no título do presente artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2005-12-01
Como Citar
Machado, N. (2005). A maioria sempre tem razão: ou não . Estudos Avançados, 19(55), 271-285. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10109
Seção
Polêmicas