Dengue no Brasil: situação epidemiológica e contribuições para uma agenda de pesquisa

  • Maurício L. Barreto Universidade Federal da Bahia; Instituto de Saúde Coletiva
  • Maria Glória Teixeira Universidade Federal da Bahia; Instituto de Saúde Coletiva
Palavras-chave: Dengue, Brasil, Situação epidemiológica, Prioridade para pesquisa

Resumo

A situação epidemiológica da dengue no Brasil é apresentada, mostrando-se a introdução e a dispersão do vetor e dos diferentes sorotipos do vírus no Brasil. No presente momento, o Aedes aegypti, o vetor, encontra-se disseminado por praticamente todo o território nacional, bem como três dos quatro sorotipos existentes do vírus (DENV-1, DENV-2 e DENV-3). O quadro epidemiológico tem se caracterizado como epidemias recorrentes, mais visível nos grandes centro urbanos. Um elemento novo no cenário é o crescimento da proporção de casos graves, especialmente casos da febre hemorrágica da dengue. As ações de controle existentes, além de custosas, têm se mostrado inefetivas. Com vistas a preencher as insuficiências existentes no conhecimento, alguns elementos para uma agenda de pesquisa são apresentados. Finalmente, não devemos deixar de reconhecer que problemas como dengue têm suas raízes na forma explosiva como as populações urbanas em países como o Brasil têm crescido, nas condições em que essas populações vivem e nos estilos de vida que adquirem.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-12-01
Como Citar
Barreto, M., & Teixeira, M. (2008). Dengue no Brasil: situação epidemiológica e contribuições para uma agenda de pesquisa . Estudos Avançados, 22(64), 53-72. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10348
Seção
Dossiê Epidemias