Aníbal Quijano e a racionalidade alternativa na América Latina

diálogos com Mariátegui

  • Deni Alfaro Rubbo
Palavras-chave: Aníbal Quijano, José Carlos Mariátegui, Colonialidade do poder, Marxismo na América Latina, Racionalidade alternativa, Crítica do eurocentrismo

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a perspectiva “decolonial” de Aníbal Quijano (1930-2018) e seus usos a partir de José Carlos Mariátegui. Em primeiro lugar, relacionamos o contexto histórico latino-americano desde a década de 1980 ao esforço de interpretação de Mariátegui por Aníbal Quijano, balizado, sobretudo, pela formulação de uma teoria fundacional (filosófica, epistemológica, ética e política) sobre a especificidade da América Latina. Na sequência, Quijano redescobre, assim, certo Mariátegui associado à renovação crítica da teoria social latino-americana. Através de múltiplos mecanismos de difusão, ele estabelece uma reconhecida caracterização filosófica e epistemológica do arsenal mariateguiano, visto como bastião da crítica eurocêntrica (“racionalidade alternativa”), para legitimá-lo como referência fundamental da teoria da “colonialidade do poder”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deni Alfaro Rubbo

é doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). É autor de Párias da terra: o MST e a mundialização da luta camponesa (Alameda; Fapesp, 2016).

Publicado
2018-12-13
Como Citar
Rubbo, D. (2018). Aníbal Quijano e a racionalidade alternativa na América Latina. Estudos Avançados, 32(94), 391-409. https://doi.org/10.1590/s0103-40142018.3294.0025
Seção
Textos