“Tu és jesuíta”. A epistemologia inaciana de José de Alencar

Palavras-chave: José de Alencar, Jesuítas, Filosofia da literatura brasileira

Resumo

Através de uma leitura da peça O jesuíta, de José de Alencar, o artigo propõe a análise de alguns mecanismos político-discursivos que caracterizariam a epistemologia dos padres da Companhia de Jesus em sua dinâmica colonial no Brasil, fundamentada na construção de certas identidades paradoxais. Essas identidades, compondo o quadro geral de um barroco jesuítico, se apresentariam sob a forma enigmática do deslocamento e do desaparecimento, indexadas nos problemas enfrentados pelos personagens da peça. O artigo busca, enfim, avaliar de que modo tais elementos permitiriam entender como o vínculo entre a perspectiva de José de Alencar e a dos jesuítas não seria apenas temático, mas propriamente epistemológico, reconsiderando, assim, a operação de dominação identitária que sustenta a narrativa da história da literatura brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-07-07
Como Citar
Lemos, F., & Pinheiro, U. (2020). “Tu és jesuíta”. A epistemologia inaciana de José de Alencar. Estudos Avançados, 34(98), 231-244. https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.3498.015
Seção
Cultura