A taxa de câmbio no centro da teoria do desenvolvimento

  • Luiz Carlos Bresser-Pereira Fundação Getulio Vargas
Palavras-chave: Taxa de câmbio, Macroeconomia do desenvolvimento, Novo-desenvolvimentismo, Doença holandesa, Poupança externa

Resumo

Este artigo apresenta as principais ideias da macroeconomia estruturalista do desenvolvimento - a teoria por trás de novo-desenvolvimentismo. Seu foco é a taxa de câmbio que é pela primeira vez colocada no centro da economia do desenvolvimento. A teoria econômica geralmente vê a taxa de câmbio como um problema de curto prazo a ser discutido na macroeconomia. A macroeconomia estruturalista do desenvolvimento mostra que há, nos países em desenvolvimento, a tendência à sobreapreciação cíclica da taxa de câmbio causada pela falta de neutralização da doença holandesa e por entradas de capital excessivas. Em consequência, considera a taxa de câmbio cronicamente sobreapreciada e, por isso, um grande obstáculo ao crescimento econômico. No processo de desenvolvimento, a taxa de câmbio tem a função de um interruptor de luz que conecta ou desconecta as empresas nacionais que utilizam a tecnologia no estado da arte mundial dos mercados mundiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-08-01
Como Citar
Bresser-Pereira, L. (2012). A taxa de câmbio no centro da teoria do desenvolvimento . Estudos Avançados, 26(75), 7-28. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/39481
Seção
Novo Desenvolvimento