Modelo de Cagan e quebras estruturais: evidências para o Brasil (1970-94)

Autores

  • Maurício Canêdo-Pinheiro FGV; IBRE

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502011000200001

Palavras-chave:

modelo de Cagan, expectativas racionais, hiperinflação, cointegração, demanda por moeda

Resumo

Partindo do modelo proposto por Cagan (1956), analisa-se o comportamento da demanda por moeda e dos preços no Brasil entre 1970 e 1994. São utilizadas técnicas de cointegração robustas à presença de quebras estruturais (determinadas endogenamente), mais adequadas a um ambiente em que planos econômicos e choque externos alteraram o comportamento das séries relevantes. Também se testa a presença de bolhas racionais, a hipótese de maximização das receitas obtidas pelo governo com o imposto inflacionário e a validade da hipótese de expectativas racionais. Por fim, em abordagem pouco usual em estudos deste tipo, constroem-se medidas da magnitude dos choques na demanda por moeda. No caso brasileiro tais choques explicam uma parcela grande da variação na demanda monetária no período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-06-01

Como Citar

Canêdo-Pinheiro, M. (2011). Modelo de Cagan e quebras estruturais: evidências para o Brasil (1970-94). Economia Aplicada, 15(2), 151-176. https://doi.org/10.1590/S1413-80502011000200001

Edição

Seção

Artigos