A estrutura a termo de taxas de juros no Brasil: modelos, estimação e testes

Autores

  • Sergio L. Franklin Jr. PUC
  • Thiago B. Duarte PUC
  • César R. Neves PUC
  • Eduardo F. L. Melo UERJ

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1413-80502012000200003

Palavras-chave:

Estrutura a termo, Taxas de juros, Interpolação, Extrapolação, Algoritmo genético, Nelson e Siegel, Svensson

Resumo

Neste artigo, propomos uma metodologia para a construção da estrutura a termo da taxa de juros livre de risco no Brasil, usando o modelo de Svensson para interpolação e extrapolação das curvas de juros e algoritmos genéticos, em complemento aos algoritmos tradicionais de otimização não linear, para a estimação dos parâmetros do modelo. O objetivo é contribuir para que o mercado segurador brasileiro mensure suas obrigações descontando seus fluxos de caixa de maneira consistente e coerente, considerando a adoção, pela Superintendência de Seguros Privados (SU-SEP), de padrões internacionais de supervisão de solvência e de reporte financeiro. Ao longo do artigo, apresentamos os resultados encontrados na modelagem das estruturas a termo de diferentes curvas de juros no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Como Citar

Franklin Jr., S. L., Duarte, T. B., Neves, C. R., & Melo, E. F. L. (2012). A estrutura a termo de taxas de juros no Brasil: modelos, estimação e testes. Economia Aplicada, 16(2), 255-290. https://doi.org/10.1590/S1413-80502012000200003

Edição

Seção

Artigos