Diferenciais de Rendimentos entre Raças e Gêneros, nas Regiões Metropolitanas, por Níveis Ocupacionais: Uma Análise através do Pareamento de Ñopo

  • Francisca Zilania Mariano Universidade Federal do Ceará (UFC) - Sobral
  • Edward Martins Costa Universidade Federal do Ceará (MAER/UFC )
  • Daniel Barboza Guimarães Universidade Federal do Ceará (FEAACS/UFC )
  • Daniel Tomaz de Sousa Universidade Federal da Paraíba (PPGE/UFPB) http://orcid.org/0000-0003-2530-2593
Palavras-chave: Diferenciais de Rendimentos, Categorias Ocupacionais, Discriminação

Resumo

Este artigo busca analisar o comportamento dos diferenciais de rendimentos entre gênero e raças nas regiões metropolitanas (RMs) e o Distrito Federal, considerando diferentes categorias ocupacionais. Dada a disparidade regional, optou-se por corrigir a renda através do índice de custo de vida desenvolvido por Azzoni e Almeida (2016); para captar o diferencial, os efeitos dotação e discriminação, utilizou-se o método não paramétrico de Ñopo (2008), aplicado aos dados obtidos pela PNAD (2014). Além disso, o método de Oaxaca-Blinder (1973) foi aplicado para o Brasil Metropolitano. Da comparação entre os métodos, constatou-se que Oaxaca superestima os efeitos da decomposição de rendimentos. Em relação ao diferencial, ocupacional e RM, as mulheres, assim como os indivíduos não brancos, têm piores remunerações. Com as ocupações desagregadas e por regiões, os profissionais das ciências e das artes são aqueles que têm as maiores diferenças salariais nas RMs por gênero; por raça, as maiores diferenças são encontradas para o grupo de dirigentes e profissionais das ciências e das artes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Zilania Mariano, Universidade Federal do Ceará (UFC) - Sobral
Professora
Edward Martins Costa, Universidade Federal do Ceará (MAER/UFC )
Professor
Daniel Barboza Guimarães, Universidade Federal do Ceará (FEAACS/UFC )
Professor
Daniel Tomaz de Sousa, Universidade Federal da Paraíba (PPGE/UFPB)
Doutorando em Economia
Publicado
2018-02-28
Seção
Artigo