Industrialização e Desenvolvimento no Governo Vargas: Uma Análise Empírica de Mudanças Estruturais

  • Hassan Arvin-Rad Department of Economics, Florida International University
  • Maria José Willumsen Department of Economics, Florida International University
  • Maria José Willumsen Department of Economics, Florida International University
  • Ann Dryden Witte Department of Economics, Florida International University, Wellesley College e NBER
Palavras-chave: mudanças estruturais, testes de mudanças estruturais, industrialização, políticas econômicas, Vargas

Resumo

Examinamos o legado econômico de Getúlio Vargas mediante o emprego de métodos de séries de tempo para identificar rupturas estruturais. Especificamente, usamos  um modelo de tendência estacionária para representar o índice total de produção manufatureira e os índices para cinco setores industriais, entre 1919 e 1968. Estes anos abrangem as quatro distintas fases do governo Vargas e o período durante o qual desenvolveram-se as indústrias básicas, como a siderurgia e a petroquímica. Concluímos que Vargas teve uma ação importante sobre o desenvolvimento econômico do Brasil. Em seu governo, o País encaminhou-se de uma sociedade marcadamente agrária, com algumas indústrias leves, para uma fortemente urbana e industrial, com importantes indústrias pesadas.(FONSECA, 1989) Verificamos ainda que a política de Vargas ensejou rupturas estruturais no desenvolvimento das indústrias do aço e de minerais não-metálicos. Todavia, tais mudanças não se mostraram suficientes para provocar mudanças significantes no índice total de produção manufatureira.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-06-28
Seção
Artigo