O Clube de Economistas e a revista Econômica Brasileira (1955-1964): Um episódio na história do desenvolvimentismo nacionalista no Brasil

  • Alexandre Flavio Silva Andrada Universidade de Brasília (UnB) - Departamento de Economia http://orcid.org/0000-0003-0121-7773
  • Mauro Boianovsky Universidade de Brasília (UnB) - Departamento de Economia
  • Andrea Cabello Universidade de Brasília (UnB) - Departamento de Economia
Palavras-chave: Celso Furtado, Clube de Economistas, Econômica Brasileira, Desenvolvimentismo

Resumo

Este ensaio investiga a história do Clube de Economistas e da revista Econômica Brasileira por ele editada. O Clube foi criado em 1955 no Rio de Janeiro, congregando economistas de viés nacionalista-desenvolvimentista. Celso Furtado concebeu e liderou o Clube e a Revista. O Clube chegou ao fim em 1964, na esteira do golpe militar. Constrói-se uma narrativa sobre o surgimento do Clube. Criado em meio à crise política de 1954, o Clube emerge a partir da deterioração das relações e do aumento das tensões entre os economistas de viés nacionalista e os liberais da FGV-RJ e sua Revista Brasileira de Economia. A liderança desse último grupo era exercida por Eugênio Gudin. Uma proposta ainda mais ambiciosa almejada pelo Clube era o da criação de uma escola de pensamento original no país. Finalmente, apresenta-se um levantamento da literatura publicada na revista Econômica Brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Flavio Silva Andrada, Universidade de Brasília (UnB) - Departamento de Economia

Professor do Departamento de Economia da Universidade de Brasília.

Mauro Boianovsky, Universidade de Brasília (UnB) - Departamento de Economia

Professor do Departamento de Economia daUniversidade de Brasília (UnB)

Andrea Cabello, Universidade de Brasília (UnB) - Departamento de Economia

Professora do Departamento de Economia da Universidade de Brasília (UnB)

 

Publicado
2018-11-12
Seção
Artigo