Novas Medidas de Educação e de Desigualdade Educacional para a Primeira Metade do Século XX no Brasil

  • Bruno Kawaoka Komatsu Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
  • Naercio Menezes Filho Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
  • Pedro Augusto Oliveira Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
  • Leonardo Viotti The World Bank Group
Palavras-chave: Educação, Desigualdade, Índice de Gini

Resumo

Este artigo descreve a trajetória do nível e da desigualdade educacional no Brasil desde a primeira metade do século XX. Combinamos diversas fontes de dados históricos, tais como os relatórios do Ministério de Negócios do Império, os Anuários Estatísticos do Brasil e os Censos Demográficos para construir novas medidas de escolaridade e calcular índices de Gini educacional entre 1900 e 2000 para cada região e para o Brasil como um todo. Nossos resultados mostram que entre 1900 e 1930, a proporção de pessoas com ensino primário completo na população permaneceu em torno de 5%, ao passo que a parcela com ensino secundário completo esteve sempre abaixo de 1% e que somente 0,3% tinham ensino superior completo. Assim, a desigualdade educacional permaneceu constante até 1920, declinou lentamente entre 1920 e 1950 e mais rapidamente somente a partir de então.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-11-29
Seção
Artigo