Do prestígio e da construção da imortalidade

os Sanjûrokkasen através das três primeiras coletâneas imperiais e Man’yôshû

  • Silvia Reis Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museu Nacional. Grupo de Pesquisa Interdisciplinar de Estudos Japoneses
Palavras-chave: Sanjûrokkasen, coleções imperiais, Fujiwara no Kintô

Resumo

Os Sanjûrokkasen de Fujiwara no Kintô é uma lista intrigante. Com trinta e seis poetas considerados por Kintô como exímios na composição poética, é possível, através da lista dos Sanjûrokkasen vislumbrar indícios da corte na Era Heian. Dado o status de Kintô como poeta e juiz de uta awase, a lista remete, em certa medida, ao imaginário da corte tanto quanto às suas preferências pessoais. Da mesma forma, as coletâneas imperiais nos fornecem evidências sobre quais poetas eram considerados dignos de terem seus poemas escolhidos – seja por talento ou por questões políticas – por seus pares ou gerações seguintes. Assim, tentando entender tal seleção que compõe os Sanjûrokkasen, foi mapeada e analisada a presença destes poetas nas três primeiras coleções imperiais, Kokinshû, Gosenshû e Shûishû, mais Man’yoshu.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-08-09
Como Citar
Reis, S. (2017). Do prestígio e da construção da imortalidade. Estudos Japoneses, (38), 81-96. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/ej/article/view/148813
Seção
Artigos